Retrato falado de suspeito de matar professora é divulgado; Câmara vota pesar

Por Assessoria de Comunicação | 2/03/2011


Foto:


O agressor seria um homem moreno ou de cor parda, com idade entre 25 e 30 anos, 1,68m de altura, cabelos (curtos) e olhos escuros, e forte, conforme descreve o retrato falado, que foi feito a partir do depoimento de duas testemunhas que afirmaram ter visto o criminoso atirar na professora. A polícia pede a quem tiver alguma informação que ajude a identificar e prender o suspeito que ligue para o 1º Distrito Policial de Embu, no telefone (11) 4783-2849, ou para o Disque Denúncia, 181. Não é preciso se identificar.

O marido de Joyce espera agora que o homem seja identificado. “Estou depositando todas as fichas no esclarecimento desse crime. Conto com a colaboração das pessoas que souberem, que façam denúncias”, disse Evandro Ferreira, chefe do Departamento de Fiscalização de Itapecerica da Serra, onde a vítima morava e ontem foi sepultada, sob comoção e indignação de alunos, colegas de trabalho e familiares. Ela voltara ao trabalho fazia 15 dias, após licença maternidade – ainda amamentava o filho de 7 meses.

Reprodução

Retrato descreve agressor como moreno, entre 25 e 30 anos, 1,68m

Quatro pessoas foram ouvidas, além do marido, ontem. A investigação trata a morte de Joyce como execução movida por vingança, já que não surgiram indícios de que reagiu a assalto ou foi vítima de um latrocínio. Nada foi roubado dela e testemunhas que viram a ação contaram que o criminoso estava esperando a professora chegar, se aproximou dela, ficou a uma distância de dois metros, não disse nada e atirou. No local do crime, peritos do Instituto de Criminalística encontraram cápsulas de pistola calibre 380.

“Ele não queria roubar nada. Ele queria acabar com a vida dela”, afirmou o delegado Higino Grigio, titular do 1º DP de Embu, que colocou investigadores nas ruas para tentar encontrar câmeras de segurança de imóveis vizinhos à escola. A polícia quer saber se foi registrada alguma cena da fuga do criminoso. “O assassino matou a professora, guardou a arma na cintura e saiu andando”, disse ainda Grigio, que aguarda novas testemunhas que possam ajudar a aperfeiçoar o retrato falado.

Na sessão da Câmara de Embu nesta quarta-feira, dia 2, a partir das 18h, os vereadores, que manifestaram consternação diante do crime brutal, devem apresentar moção de pesar pela morte de Joyce, em solidariedade à família da professora e repúdio à violência que a vitimou, no aguardo de que as autoridades da segurança pública apurem e esclareçam com rapidez e exatidão as circunstâncias do assassinato e que o responsável seja punido na forma da lei.

(Adilson Oliveira – Assessoria de Comunicação da Câmara de Embu, com informações de agências de notícias)

Comentários

Nenhum comentário até o momento