Vereadores lembram consternados morte de professora e exigem policiamento ostensivo

Por Assessoria de Comunicação | 2/03/2011


Foto:


No documento, os vereadores ressaltam que Joyce dava aulas de educação física na escola municipal Paulo Freire, no Jardim Santa Emília, desde 2007 e, pela “capacidade profissional e espírito agregador”, foi promovida havia três anos coordenadora pedagógica. “A professora foi vítima de crime brutal e inexplicável até o momento, levando grande comoção a toda a comunidade escolar, bem como à nossa cidade.”

A moção reporta “dezenas de manifestações de carinho de colegas, alunos e amigos da professora Joyce, que externaram opiniões sobre seu caráter, amor e dedicação ao trabalho, sendo qualificada, entre outras coisas, como ‘companheira, segunda mãe para seus alunos, brincalhona, que tratava a todos com justiça e igualdade, querida por todos’, mostrando a grande perda que representou a sua morte para aqueles que a conheceram”.

“A tragédia atingiu a todos nós, mas infelizmente, de forma ainda mais dramática, seu esposo e seu pequeno filho, nascido recentemente”, diz a moção, em referência à criança de 7 meses que Joyce ainda amamentava. Os vereadores dizem que como membros de um poder que luta pelos direitos fundamentais do cidadão, entre os quais a proteção da vida, “devemos manifestar publicamente nossa indignação para atos de brutalidade".

Adilson Oliveira/CMETE
Vereadores em silêncio por professora assassinada em frente a escola

Por fim, ao salientar que o crime “ceifou a vida de uma pessoa que só fez o bem enquanto esteve entre nós”, exigem “das autoridades policiais constituídas o rápido esclarecimento sobre o grave acontecimento e a busca e prisão dos envolvidos neste bárbaro assassinato, com a máxima celeridade”. Em memória da professora –, morta na porta da própria escola quando chegava para trabalhar –, os vereadores fizeram um minuto de silêncio.

Outra moção de pesar foi apresentada, pelo vereador Edgardo Cabral (PSB), que lembrou o falecimento do pastor José Pimentel de Carvalho, aos 95 anos, muito admirado na cidade pelo ministério frutuoso, de acordo com o proponente.


Projeto e indicações
A Câmara também aprovou na quinta sessão ordinária projeto de lei do vereador João Leite (PT) que oficializa a “Casa dos Conselhos” – espaço para sede dos conselhos municipais – e a batiza de Josefa Severina da Silva, munícipe com atuação destacada em diversos conselhos de direitos da cidade, falecida em janeiro. “É um privilégio para a nossa família, reconhecimento da cidade ao que ela fez”, disse a filha Marcela Marques, 24, presente à sessão.

Foram aprovadas ainda cinco indicações, ao prefeito Chico Brito, para providências. João Leite solicitou projeto de recapeamento, guias, sarjetas e drenagem nas ruas do Jardim Fabiana e Vila Ísis Cristina.

A vereadora Maria Cleuza Gomes, a Ná (PT), pediu estudos para execução de obras de drenagem de águas de chuva e recapeamento da rua Piauí, no Jardim Sílvia, e para construção de centro comunitário no Jardim Itatuba.

Preocupado com o grande número de pessoas, muitas delas crianças, que utiliza três escadões no Jardim Santa Tereza que ficam às escuras quando a noite cai, o vereador Aparecido Pereira Dias, o Didi (PT), pleiteou a realização de estudos para implantação de iluminação nos locais.

(Adilson Oliveira – Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Embu)

Comentários

Nenhum comentário até o momento