Estudantes lotam Câmara em reunião para implantar cursinho pré-vestibular em Embu

Por Assessoria de Comunicação | 9/03/2011


Foto:


Conforme projeto de lei apresentado pelos vereadores e aprovado, a prefeitura fica autorizada a prever no Plano Plurianual (PPA) e nas Diretrizes Orçamentárias (LDO) leis de iniciativa do Executivo que, respectivamente, estabelecem metas para despesas em quatro anos e orientam a elaboração do orçamento anual os custos financeiros e realizar convênios ou parcerias com instituições educacionais públicas ou privadas e empresas para implantar e manter o curso pré-vestibular.

O recurso para criação do cursinho é de R$ 200 mil, dos quais R$ 170 mil foram remanejados da receita prevista do gabinete do prefeito. "Lutamos para que pudessem ter uma oportunidade de acesso a universidade, tirem proveito do projeto que fizemos pensando em vocês", discursou João Leite. O vereador Silvino disse aos estudantes que não desperdicem a chance de ingressar no ensino superior para usufruir de momento de "ascensão econômica e social" que o país vive.

Adilson Oliveira-CMETE
Alunos de 12 escolas de ensino médio de Embu reunidos na Câmara

Com previsão de início ainda neste ano, o cursinho pré-vestibular atenderá, como prioridade, estudantes provenientes de escola pública, de baixa renda e residentes em Embu os oriundos de colégios particulares terão acesso desde que comprovem que foram bolsistas. Serão abertas entre 150 e 200 vagas, em dois núcleos, nas escolas municipais Valdelice Prass, no Parque Pirajuçara, e Mauro Ferreira, no Jardim Sílvia (região central), com aulas durante a semana à tarde e noite e no sábado.

Os alunos de 12 escolas de ensino médio do município presentes na reunião indicaram três representantes por colégio como possíveis candidatos a membro do conselho gestor, que deverão ser eleitos em 2 de abril. Três estudantes vão compor o órgão que vai gerir o projeto do cursinho, além de dois integrantes da Secretaria Municipal da Educação, um da Câmara, um do Centro de Referência da Juventude, dois educadores da rede pública e um de entidade que desenvolva trabalho com jovens.

"Finalmente, alguém está fazendo algo pela gente. O aluno de escola pública é muito despreparado, temos capacidade, mas falta incentivo, precisamos de ensino de qualidade para enfrentar um vestibular. O cursinho ajuda a suprir essa carência", elogiou a estudante Daniele Meani, 17, moradora do Jardim Fabiana. "Era o que precisávamos, apesar da deficiência da escola, sempre há alunos esforçados, que serão beneficiados", disse o também aluno de 3º ano do ensino médio Jhonatan Alcântara, 18, residente do Jardim Santa Tereza.

A reunião ressaltou ainda a importância do Enem (exame do ensino médio), quanto à possibilidade de o estudante ingressar em universidade privada com bolsa, já que nos últimos dois anos nenhum secundarista de Embu foi bolsista do ProUni, e da mobilização estudantil por melhoria da educação pública. "Os jovens que concluem o ensino médio são carentes e sujeitos excluídos do acesso a educação de qualidade por falhas das políticas públicas educacionais", disse o vereador João Leite.

(Adilson Oliveira - Assessor de Comunicação da Câmara Municipal de Embu)

Comentários

Nenhum comentário até o momento