Câmara de Embu homenageia mulheres; Ná e Silvino apontam avanços e desafios

Por Assessoria de Comunicação | 14/03/2011


Foto:


Ná, emocionada, prestou tributo às mulheres "trabalhadoras, esforçadas, que se destacam pela inteligência, pela capacidade de exercer seu emprego e cuidar da família, que quase sempre ficam longe das comemorações". Em análise sociocultural, lembrou que há cem anos as mulheres não podiam votar, e até recentemente as casadas eram consideradas juridicamente incapazes, "necessitando para qualquer coisa importante da autorização dos maridos".

 

"Felizmente, a situação no Brasil melhorou muito", disse a vereadora, ao considerar "avanços" como a Lei Maria da Penha, para punir a violência contra a mulher, e os programas Bolsa-Família e de fortalecimento da agricultura familiar (Pronaf), do governo federal. São iniciativas que contribuem para o desenvolvimento social da mulher, ressaltou Ná, ao mencionar políticas citadas pela presidente Dilma Rousseff (PT) em pronunciamento pela data.

Adilson Oliveira-CMETE
Ná rende homenagem pelo Dia Internacional da Mulher em tribuna

"Meu objetivo fundamental é a erradicação da pobreza extrema. No Brasil, a pobreza tem cara: ela é muito feminina, está ligada às mulheres. Quanto mais pobre a família, maior a chance de que seja chefiada por uma mulher. A eliminação da discriminação de gênero e a valorização das mulheres são estratégias indispensáveis para alcançarmos êxito em nossa luta contra a pobreza", disse Dilma, na leitura feita pela vereadora de trecho do discurso.

"Como disse nossa presidenta da República, o Brasil que queremos, e que vamos ter, é um país sem violência. É um país rico, em que as mulheres e os homens têm as mesmas oportunidades e privilégios, contribuindo juntos para o desenvolvimento", frisou Ná. "Parabéns a todas as mulheres que com a luta do dia a dia estão conquistando o espaço com dignidade e respeito", enalteceu a vereadora, no início da sexta sessão da Câmara.

O presidente Silvino destacou as vereadoras Ná e Dra. Bete (PDT) como integrantes do Legislativo e disse que o país deve lutar por igualdade entre os sexos no mercado de trabalho. "Dados oficiais apontam a mulher como mão-de-obra barata, em muitas profissões ganha ainda menos do que 50% do que recebe o homem. É uma injustiça. Precisamos discutir sobre a valorização e a dignidade da mulher, que tem um papel imenso na sociedade."

(Adilson Oliveira - Assessor de Comunicação da Câmara Municipal de Embu)

Comentários

Nenhum comentário até o momento