Cidadãs de Embu discutem 12 direitos da mulher; eventos pelo 8 de Março vão até dia 26

Por | 17/03/2011


Foto:


Cerca de 30 pessoas, entre moradoras e servidoras da saúde, participaram do evento, na última sexta-feira, dia 11, que contou também com a presença da vereadora Maria Cleuza Gomes. "Antes, eu não entrava em um restaurante sozinha, havia a 'cultura' de que a mulher não podia sair desacompanhada", disse Ná (PT), em contribuição à reflexão da advogada Cláudia Simões Madeira, que abordou os 12 direitos fundamentais da mulher.

Assistente jurídica da Controladoria Geral da Prefeitura de Embu, Cláudia Simões levou as participantes a debater sobre cada princípio determinado em convenção da Organização das Nações Unidas (ONU), em 1972, e que "os governos estão obrigados a cumprir". "Não é só nascer e crescer, a vida tem de ser de qualidade, em todos os aspectos, profissional também", disse a palestrante, ao destacar o ponto fundamental, o direito à vida.

A advogada e presentes abordaram também o direito à liberdade e segurança pessoal; à igualdade e a estar livre de todas as formas de discriminação – exemplificada pela vereadora; à liberdade de pensamento – em que as mulheres foram incentivadas a "decidir por si própria"; à informação e educação – contra a pergunta machista "Estudar pra quê?", à qual reagiu a moradora que fez depoimento de "libertação" das amarras da ignorância.

Fotos Adilson Oliveira-CMETE
Ná (centro) aplaude depoimento pelo direito à educação em palestra

Os outros princípios discutidos foram: direito à privacidade; à saúde e proteção desta; a construir relacionamento conjugal e a planejar a família; a decidir ter ou não ter filhos e quando tê-los; aos benefícios do progesso científico; à liberdade de reunião e participação política; a não ser submetida a tortura e mau-trato. "A mulher que expõe o corpo e não se respeita vai sofrer com isso", disse Cláudia, sobre a aparição feminina em certos bailes.

"É preciso promover a auto-estima da mulher", disse a palestrante, ao indicar serviços públicos de apoio como o Centro de Referência da Mulher, Delegacia da Mulher, Ministério Público, Ordem dos Advogados (OAB), abrigamento femimino, entre outros. "Devemos ser formadores de opinião e multiplicar o comportamento de que preconceito é uma forma de violência. Se tiver que acionar a delegacia, vamos fazer", afirmou.

Antes da palestra, as mulheres e convidados foram recebidos com acolhedor café oferecido pelas funcionárias do posto de saúde, sob as boas-vindas da diretora Lucimeire Brockveld. O vereador Silvino Bomfim (PT), presidente da Câmara de Embu, também prestigiou o evento. "Estive num maravilhoso café da manhã na UBS do Independência, com o grupo da Terceira Idade. Verdadeiros exemplos em nossa comunidade", disse via twitter.

O evento fez parte da programação municipal em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, 8 de Março, que se estende até o dia 26, quando acontece o espetáculo teatral "Rádio Itinerante 202,6 Mhz". Até o último sábado do mês, podem ser conferidas ainda exibição de filmes, apresentações culturais, exposição, oficinas, palestras. Todas as unidades básicas de saúde (UBS) fazem coleta de papanicolau até esta sexta-feira, dia 18, das 8h às 16h.

> Confira programação completa no site da prefeitura

Veja outras fotos do evento


























































(Adilson Oliveira e Márcio Amêndola – Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Embu)

Comentários

Nenhum comentário até o momento