Vereadores cobram de secretaria e cooperativa melhora do transporte municipal de Embu

Por Assessoria de Comunicação | 6/04/2011


Foto:


Na sessão na quarta-feira passada, 30 de março, vereadores criticaram as condições do serviço sob concessão à cooperativa de transporte após o presidente Silvino Bomfim apresentar requerimento em que cobrava respostas sobre vários relatos de moradores de que algumas linhas chegam a demorar mais de 30 minutos para passar nos pontos e circulam com frequência superlotadas e acerca de subsídio recebido e reajuste da tarifa de R$ 1,90 para R$ 2,30.

O presidente do consórcio negou que o serviço tenha piorado e retrucou que a cooperativa não é "omissa", ao rebater a afirmação, que atribuiu a um vereador não presente, de que os micro-ônibus estão mal conservados. "Não é justo falar que o transporte tem sido de má qualidade. E falar que temos sucata é dizer que quem opera ou o órgão gestor está sendo omisso, e não existe omissão em melhorar", afirmou Leonel Augusto.

O empresário admitiu, porém, que "atrasos e lacuna entre carros existem", mas atribuiu a demora e a superlotação a maior demanda ao transporte municipal e ao estado da malha viária. "A população está ficando aqui para trabalhar. Também temos um asfalto de 50 anos", disse Leonel, que mostrou foto de vários coletivos que esperariam conserto em oficina. Entretanto, disse que busca financiamento para comprar novos veículos e ampliar a frota.

Fotos: Adilson Oliveira-CMETE
Vereadores com secretários municipais e empresário de cooperativa

Ao apresentar relatório sobre o sistema, o secretário Cal afirmou que, em média, a frota em circulação de segunda a sexta-feira é de 147 micro-ônibus, "mas tem semana em que estão em operação 135", confirmou. Porém, em contagem por linha solicitada pela Assessoria de Comunicação da Câmara de Vereadores, o coordenador de transporte da prefeitura Angelo Grenfell mencionou no total 132 coletivos em operação atualmente, em média.

Cal relatou que a maioria dos micro-ônibus utilizados no transporte tem sete/oito anos de uso (59 carros) e seis/sete (34) e nenhum com menos de um ano de fabricação. "É verdade, não temos quase veículos novos", reconheceu o titular da pasta, ao responder ao vereador Luiz Carlos Calderoni (PMDB), que reclamara de "frota antiga". Mas o consórcio "tem compromisso conosco de renovar 10%" do total de coletivos, afirmou o secretário.

Cálculo que resultou na nova tarifa cobrada também foi apresentado. A divisão do custo do sistema (R$ 4,0527) por passageiro transportado (1,7619) a cada quilômetro chegou a R$ 2,30, explicou o secretário, que ressaltou que o valor ficou próximo ao baseado nos índices de inflação IGPM (R$ 2,28) e IPC (R$ 2,22) e abaixo da proposta apresentada pela cooperativa, de reajuste para R$ 2,57. "A tarifa é decidida com critério", disse Cal.

O secretário de Governo defendeu a cobrança da nova tarifa ao avaliar que entre os usuários o reajuste, "economicamente, é dificil de compreender, mas tecnicamente é necessário". Giannini negou que o aumento sirva para compensar a gratuidade do transporte a idosos e metade da passagem a estudantes, professores e pessoas em tratamento médico e disse que não chegou nenhuma reclamação à Ouvidoria Municipal.

"A população reconhece o trabalho efetivo de melhoria no transporte, que temos responsabilidade na definição da tarifa, e garantido às pessoas se deslocar gratuitamente", disse Giannini, que informou que o subsídio pago à cooperativa para transportar sem cobrar dos usuários beneficiados é de R$ 240 mil por mês. Ele revelou que até 2012 não haverá novo aumento da passagem. "É o primeiro e único que vai ter no governo Chico Brito."

Silvino avaliou como positivos os esclarecimentos ao perceber avanços no transporte municipal, apesar dos problemas registrados, e disse que a Câmara acompanhará se os investimentos por nova frota serão efetivados. Os vereadores João Leite (PT) e Zé Carlos Proença (PSDB) cobraram maior fiscalização e relatório frequente sobre o sistema. Participaram ainda da reunião os vereadores Egardo Cabral (PSB) e Arthur Almeida (PSDB).

(Adilson Oliveira - Assessor de Comunicação da Câmara Municipal de Embu)



Comentários

Nenhum comentário até o momento