Moradores do Santa Rita apresentam reivindicações na 1ª Câmara Itinerante

Por Assessoria de Comunicação | 10/05/2011


Foto:


Primeira a usar a palavra, Sileide Ferreira da Silva cobrou uma solução para o problema de uma linha do transporte coletivo municipal no bairro. A moradora disse que o prefeito Chico Brito havia prometido resolver o problema assim que a rua Antonio Mori fosse pavimentada - a obra foi executada há mais de um ano. Ela reclamou também que o ponto de ônibus do bairro não tem abrigo, expondo crianças e adultos à chuva e ao sol.

Sileide disse ainda que a empresa Miracatiba não coloca sempre os ônibus com destino ao Engenho Velho (linha Clínicas) na avenida Hélio Ossamum Daikuara e que, às vezes, simplesmente passam direto pela BR-116, obrigando os moradores a descerem na avenida Elias Yazbek, em frente à Liotécnica. Quando vêm pela linha de Itapecerica da Serra, eles têm de descer no ponto do Posto Paraná, a mais de um quilômetro do bairro, disse.

A moradora também cobrou uma área de lazer no Jardim Santa Rita e iluminação na via pública que leva ao Ferreira. Reclamou que só quatro dos 13 vereadores compareceram à Câmara Itinerante. “Todos os vereadores deveriam estar aqui, e as promessas não podem ficar para o próximo mandato”, concluiu. A munícipe Adenira Maria de Souza apoiou as reivindicações da colega e reclamou de uma escolinha improvisada no bairro.

Fotos: Adilson Oliveira-CMETE
Moradora Sileide cobra transporte, área de lazer e iluminação pública

De acordo com Adenira, os professores e crianças “sofrem naquele lugar do tamanho de um ovo”, onde há o constante ataque de pernilongos, com risco de contaminação por doenças como a dengue. A moradora exigiu uma solução, já que existe outro local adequado, mas ainda não entregue à comunidade. Também cobrou a construção de uma creche e uma área de lazer no bairro. “Cuidem das crianças, não quero nada para mim”, falou.

Bento Pereira, exaltado, disse que "não somos palhaços de ninguém", reclamando de vereadores ausentes. “Quando é para pedir votos, eles vêm aqui até em cadeira de rodas”, bradou. Ele recomendou que os moradores anotassem os nomes dos quatro vereadores que compareceram, em reconhecimento aos que foram ouvir a comunidade. Sem apresentar nenhuma reivindicação em especial, exigiu dos políticos maior atenção ao bairro.

O morador Paulo Pires reclamou também da Viação Miracatiba, que deixa moradores esperando mais de uma hora no ponto no bairro. Ele relatou que "enquanto a empresa ganha muito dinheiro, ficamos como sardinhas em lata nesses ônibus”. Questionou por que os vereadores e o prefeito da cidade não multam a empresa por não colocar coletivos na linha ou não passar pela avenida ao lado do bairro regularmente.

Adenira se queixa de escola infantil improvisada e reivindica creche

O morador falou que seu filho desce sempre da linha Clínicas-Engenho Velho no ponto da Daisa (uma fábrica no Jardim Vista Alegre), e que vai buscá-lo, por “medo de vagabundos que dão uma facada apenas por um relógio”. Também exigiu melhoras no tráfego sob a rodovia Régis Bittencourt, no Parque Industrial. “Será que a prefeitura, a Secretaria de Transportes não tem capacidade nem de organizar o trânsito sob a BR-116?”, indagou.

Por fim, Paulo Pires reclamou da saúde pública municipal, relatando o caso de um amigo que teria morrido no Pronto Socorro Central de Embu, por falta de receber oxigênio. Reclamou da “grossura” dos médicos, que estariam realizando um atendimento negligente e desumano, e que faltam remédios nos postos de saúde. O morador recomendou aos vereadores fazerem uma incerta nas unidades de saúde para constatar os problemas.

Um posto de saúde no Jardim Santa Rita foi reivindicado pelo morador Eli Ribeiro Camelo, ao relatar que atualmente os moradores têm de usar a UBS (unidade básica) do Jardim Vista Alegre, a quilômetros de distância, onde faltam médicos, e uma consulta chega a ser marcada só para dois meses depois. “Estamos na beira do abismo na parte de saúde”, lamentou.

Morador Paulo Pires reclama de linhas intermunicipais e da saúde

O professor Ademir informou que em 2008 a escola realizou uma atividade denominada “Projeto Eleições”, em que os problemas da comunidade foram discutidos pelos alunos, que foram despertados a ter senso crítico e fazer a escolha correta dos candidatos nas eleições municipais. "Vocês não precisam pedir, implorar, mas exigir aquilo que são seus direitos", disse aos estudantes. Ele criticou a presença de apenas quatro vereadores na Câmara Itinerante.

Respostas dos vereadores

Os vereadores buscaram responder e esclarecer aos moradores do Jardim Santa Rita sobre as atribuições da Câmara Municipal e mesmo da prefeitura nas questões levantadas.

O vereador José Carlos Proença (PSDB) explicou que os problemas com as linhas de ônibus intermunicipais são de competência estadual, da EMTU, e a prefeitura não tem o poder de mudar itinerários ou multar a empresa. Quanto à linha Clínicas - Embu Engenho Velho, existe o compromisso de os ônibus passarem sempre pela via marginal, ao lado do bairro e Aba Motors, e os vereadores cobrarão da EMTU a devida fiscalização, respondeu.

Quanto às linhas que passam somente pela rodovia Régis Bittencourt, Proença disse que há um plano de instalação de um ponto de ônibus com abrigo, na seringueira em frente ao Posto Cancún, para reduzir a distância que os moradores têm de percorrer, já que o ponto atual mais próximo é o do antigo Posto Paraná. Sobre a área de lazer, o vereador disse ser preciso encontrar uma área pública disponível para um campo de futebol.

Presidente Silvino (PT) responde aos moradores sobre reivindicações

O vereador Edgardo Cabral (PSB) disse que a Câmara Itinerante é uma instância criada justamente para ouvir a comunidade de perto, sem intermediários, e que as queixas dos moradores são legítimas. Ele prometeu que fará todos os esforços para encaminhar as reivindicações às autoridades. Ponderou que a região do Santa Rita melhorou muito, já que a rua principal (Antonio Mori) foi pavimentada. "Isso aqui era pura lama."

A vereadora Maria Cleuza Gomes, a Ná (PT), disse que a participação popular torna as pessoas “cidadãs de direitos”, e que os moradores têm toda razão em lutar e reivindicar. Ela comprometeu-se, em nome dos quatro vereadores presentes à Câmara Itinerante, em empenhar-se para a busca de solução aos problemas apontados, sugerindo que os moradores criem uma comissão para falar com o prefeito, acompanhada dos parlamentares.

O vereador Silvino Bomfim (PT) afirmou seu compromisso com as causas populares e a educação, como professor de educação física da rede pública. "Temos de ter a coragem de mudar o que se pode mudar, a serenidade para sabermos o que não pode ser mudado, e a inteligência para separar as duas coisas”, disse, ao citar que algumas das reivindicações dos moradores são de competência estadual, e outras são da alçada municipal.

Alunos e moradores na Câmara Itinerante na EE Aparecida Carvalho

"O transporte intermunicipal é de competência do [governo do] Estado, mas iremos atrás da EMTU para cobrar soluções para estes problemas, porque o transporte é um dever do Estado e um direito de todos", afirmou o presidente da Câmara Municipal. Quanto aos problemas na saúde e a falta de remédios apontada pelo morador Paulo Pires, o vereador Silvino lembrou que "o problema da saúde é estrutural e afeta todo o país".

Ele disse que há um verdadeiro "leilão" de salários, em que  cidades mais ricas, como São Paulo, pagam até R$ 15 mil para um médico, e mesmo pagando R$ 7 mil prefeituras menores como a de Embu têm dificuldades de contratar médicos. Citou a mudança na forma da contratar - terceirizada - como positiva em Embu. “Antes, o médico ruim não podia ser mandado embora, por causa do concurso que prestou. Hoje, é demitido imediatamente", frisou.

Quanto à área de lazer solicitada pelos moradores do Jardim Santa Rita, o presidente Silvino lembrou que é preciso que haja área pública disponível, o que torna mais difícil essa conquista, mas lembrou que em breve será inaugurado o Parque da Cidade nas proximidades - na várzea do rio Embu-Mirim (próximo ao Rodoanel) -, onde haverá, além de campus de universidade federal, quadras poliesportivas e área de lazer para toda a região.

(Márcio Amêndola – Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Embu)

Comentários

Nenhum comentário até o momento