Edgardo apresenta projeto de lei e Embu pode ter programa "Leve-Leite"

Por | 29/06/2011


Foto:


Explicando seu projeto aos colegas, ao argumentar que o poder público pode criar mecanismos para manter as crianças nas escolas e proporcionar um ensino de qualidade, Edgardo disse que o "Leve-Leite" será um incentivo a mais para a frequência escolar, já que somente serão beneficiados os alunos que comparecerem a mais de 80% das aulas. O vereador disse que espera que “o prefeito Chico Brito analise com muito carinho a proposta”.

Foto: Adilson Oliveira-CMETE

Edgardo diz que programa será um incentivo para frequência escolar

O presidente da Câmara, Silvino Bomfim (PT), afirmou que programas do gênero "têm uma importância social muito grande, mas é preciso cobrar ações concretas também dos governos do Estado e federal quanto aos aumentos de repasses de verbas para a alimentação escolar". Silvino lembrou que existem outros programas sociais em andamento, como o Bolsa-Família, sendo que hoje mais de 14 milhões de famílias são atendidas no país.

O vereador Edgardo esclareceu que o seu projeto de lei é "autorizativo", não gerando obrigações ao governo municipal. "Meu projeto abre a possibilidade de o governo municipal discutir com seus técnicos como implementar o programa 'Leve-Leite'. Estamos somente colaborando com o governo para tentar acabar com a fome neste país", concluiu.

Foto: Reprodução

Detalhe de lata do produto (1kg) distribuído pela prefeitura da capital

A vereadora Maria Cleuza Gomes, a Ná (PT), única a votar contra o projeto, afirmou ser a favor da ideia, mas lembrou que o governo municipal já mantém um programa de merenda escolar, Bolsa-Família, Banco de Alimentos, Kit de material escolar com livros para todas as crianças da cidade, além das novas creches em construção, e que "no momento não é possível a implantação de um novo programa social, apesar de sua grande importância".

O vereador José Carlos Proença (PSDB) parabenizou o colega Edgardo pela iniciativa e disse que o "Leve-Leite" já existe no Estado, e se propôs a ajudar na busca de verbas dos governos estadual e federal para viabilizar a proposta, em rateio das despesas do programa com a administração municipal, para que as crianças recebam o benefício.

Após os debates, o projeto de lei foi colocado em votação, sendo aprovado por dez votos favoráveis e um contrário. A proposta foi encaminhada ao prefeito Chico Brito para as devidas providências.

(Márcio Amêndola – Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Embu)

Comentários

Nenhum comentário até o momento