Samu para Embu e mais 4 cidades, com 11 ambulâncias, é inaugurado dia 30

Por Assessoria de Comunicação | 7/07/2011


Foto:


Em Embu, a Central de Regulação, estrategicamente próxima à rodovia Régis Bittencourt e ao Rodoanel, estará interligada às outras quatro cidades. Essa integração é resultado de uma ação de política regional do poder público local (prefeitos e vereadores) que visa tornar o serviço - que requer investimento alto - viável para municípios com poucos recursos e atende proposta do Ministério da Saúde de integrar as diversas regiões no país.

Para acionar o Samu, em caso de urgência, o munícipes só precisarão fazer, gratuitamente, ligações para o telefone 192, que serão recebidas pela central. Um médico regulador atenderá a chamada e, com o diagnóstico após conversa com o usuário, decidirá pelo atendimento mais adequado, que pode ser desde orientações de primeiros-socorros até o deslocamento de uma equipe de UTI Móvel para prestar o primeiro atendimento no local.

Fotos: Guego/PMETE - Adilson Oliveira/CMETE - 15.mar.11

Central de ambulâncias no Jardim Magali, Embu; vereadores de cidades do sudoeste em reunião pela implantação do Samu regional

Para garantir a eficiência e agilidade ao atendimento, a Central de Regulação Médica tem toda a infraestrutura necessária para fazer a localização, em tempo real, das ambulâncias mais próximas para atender a ocorrência, além de sistema de coleta de dados dos eventos para auxiliar na prevenção e radiocomunicação, com tecnologia digital, em canal aberto com todos os cinco municípios - Taboão da Serra não está incluído por já ter o serviço.

As 11 ambulâncias disponibilizadas são divididas em duas categorias: a unidade de suporte básico, para atendimento de casos graves, mas sem risco de vida, e a de suporte avançado, para situações como de ferimentos por arma branca e de fogo, derrame cerebral e infarto. A primeira é tripulada por um motorista/socorrista e um técnico de enfermagem. A de suporte avançado, uma UTI Móvel, é tripulada por um médico intervencionista e um enfermeiro.

No atendimento a emergências clínicas, traumáticas, obstetrícias (partos) e psiquiátricas, a equipe do Samu se desloca para os mais diversos locais, como vias públicas, residências e locais de trabalho, em programa no qual a aquisição de ambulâncias e equipamentos para a Central de Regulação têm financiamento total do ministério, enquanto que para a manutenção mensal do serviço metade dos custos é assumida pela prefeitura do município.

No caso da Samu da região, os recursos serão compartilhados pelas cidades participantes, conforme permissão votada pelas Câmaras Municipais. Em março, os vereadores embuenses aprovaram lei que autoriza o governo Chico Brito repassar a parte que cabe a Embu - que gerenciará o convênio - e receber das prefeituras parceiras a quantia rateada para o Fundo de Saúde de Embu, com o qual serão pagos os 50% do custeio, ou R$ 120 mil mensais.

(Adilson Oliveira - Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Embu)

Comentários

Nenhum comentário até o momento