Central Médica do Samu é inaugurada e Embu e mais 4 cidades ganham dez ambulâncias

Por Assessoria de Comunicação | 2/08/2011


Foto:


Para acionar o Samu, em caso de urgência, os munícipes só precisarão fazer, de graça, ligações para o telefone 192, que serão recebidas pela central. Um médico regulador atenderá a chamada e, com o diagnóstico após relato da ocorrência recebida, decidirá pelo atendimento mais adequado, desde orientações de primeiros-socorros até o deslocamento de uma equipe de UTI Móvel para prestar atendimento inicial no local.

As viaturas do Samu são de duas categorias: unidade de suporte básico, para atendimento de casos graves, mas sem risco de vida, e de suporte avançado, para situações como ferimentos por arma branca e de fogo, derrame cerebral e infarto. A primeira é tripulada por um motorista/socorrista e um técnico de enfermagem. A de suporte avançado, a UTI Móvel, por um médico intervencionista e um enfermeiro, além do socorrista.

Embu ficou com três ambulâncias, uma avançada e duas básicas; Itapecerica, duas, uma avançada e uma básica; Embu-Guaçu e Juquitiba, duas, básicas, cada; e São Lourenço, uma, básica. As equipes somam cerca de 80 profissionais, dos quais 45 para o serviço em Embu – no atendimento a emergências clínicas, traumáticas, obstetrícias (partos) e psiquiátricas, dirigem-se a diversos locais, como vias públicas, residências e locais de trabalho.

Fotos: Adilson Oliveira-CMETE
Prefeito, vereadores e profissionais do Samu na entrega de central

A conquista do Samu regional se deve a uma ação política associada entre os prefeitos e vereadores da região que tornou o serviço – que requer inves-timento alto – viável para municípios com poucos recursos financeiros. A aquisição de ambulâncias e equipamentos para a Central de Regulação tem financiamento do ministério, enquanto que para a manutenção mensal do serviço metade dos custos é dividida entre governo estadual e município.

No caso do Samu da região, os recursos serão compartilhados pelas cinco cidades, conforme autorização votada pelas Câmaras Municipais. Os vereadores embuenses aprovaram lei para o governo Chico Brito repassar a parte que cabe a Embu – que gerenciará o convênio – e receber das prefeituras parceiras o valor rateado. Para manter pessoal e estrutura, os municípios pagarão por ano R$ 700 mil, e o ministério custeará R$ 3 milhões.

Embu deve contar com mais três ambulâncias até outubro, já que busca habilitar viaturas comuns usadas da saúde municipal para o padrão Samu, com rádio e aparelhagem de socorro, pelas quais receberia recursos do programa. Em agosto de 2012, seriam substituídas por novas, na troca da frota do ministério. “Além do repasse mensal, teremos a renovação das três viaturas”, disse a coordenadora-médica do Samu Regional, Elaine Fernandes.

“Estou muito feliz pela construção desse equipamento de forma regionalizada, graças à articulação dos prefeitos com o apoio de todos os vereadores, que lutaram para trazer um serviço que representa um passo importante para a saúde da região”, disse o presidente da Câmara de Embu, Silvino Bomfim (PT). Os vereadores João Leite (PT), Gilvan da Saúde (PPS), Aparecido Dias, o Didi (PT), e Arthur Almeida (PSDB) também participaram da inauguração.

Além de Chico e do vice Nataniel Carvalho, de Embu, o ato reuniu o prefeito Jorge Costa e os vereadores Amarildo Gonçalves, José Maria e José de Moraes, de Itapecerica; a prefeita Cida Maschio, de Juquitiba; os vereadores Roberto Izidoro, André Despézio, José Ricardo, de São Lourenço; o secretário Valdomiro dos Santos, de Embu-Guaçu; e os vereadores Wagner Eckstein e Cido, de Taboão da Serra – que não fez parte do convênio por já ter o serviço. O deputado estadual Geraldo Cruz também esteve presente.

(Adilson Oliveira – Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Embu)

Comentários

Nenhum comentário até o momento