Erro de construção leva a demolição de laje de creche no Sto. Eduardo, aponta Proença

Por Assessoria de Comunicação | 2/09/2011


Foto:


Durante sessão da Câmara na quarta-feira, dia 31, o vereador pediu a suspensão dos trabalhos e apresentou o caso aos colegas em reunião na Sala das Comissões, com a presença inclusive dos membros da Comissão de Educação da Casa de Leis, ele próprio e os vereadores Carlos Pires (PDT), o presidente, e João Leite (PT), membro.

Proença informou que há algum tempo visitou a obra e percebeu falhas estruturais e rachaduras na construção da creche, e que posteriormente, duas semanas atrás, no dia 16 de agosto, foi ao local munido de filmadora e máquina fotográfica, quando registrou o problema e o início da demolição da laje.

R$ 1,2 MILHÃO DO 'PROINFÂNCIA'
O vereador disse lamentar profundamente que uma obra da prefeitura financiada com recursos do programa "Proinfância", do governo federal, no valor de R$ 1.260.795,15, tenha simplesmente de ser demolida por erros de construção. “Quem vai pagar pelo prejuízo, a prefeitura ou a construtora? É seguro que a mesma empresa que errou faça a obra novamente?", indaga.

Fotos: Assessoria parlamentar
Fotos mostram laje demolida e placa da obra de creche no Eduardo

Proença também quer saber quais as falhas na estrutura do prédio e porque a prefeitura demorou tanto para perceber o problema. "É uma creche municipal, ia abrigar centenas de crianças, e se o problema não fosse detectado a tempo poderia causar uma grande tragédia, além dos prejuízos financeiros que já são visíveis", lamenta o vice-presidente da Câmara.

Outro problema detectado pelo vereador foi o atraso na obra, iniciada em 28 de junho de 2010, com prazo de entrega em 27 de junho de 2011, ou seja, de um ano. Agora, com a demolição da laje, é quase certo de que neste ano não haverá creche naquele local, avalia o parlamentar. O fato constatado de que as paredes não suportaram a laje pressupõe que até as paredes construídas e suas colunas terão de ser reconstruídas.

O vereador considerou inadmissível tamanho desperdício, sem contar o prejuízo para a comunidade, já que Embu tem uma grande defasagem de vagas em escolas na faixa etária mais baixa. Moradores do bairro reclamam da demora em terminar a obra da creche. A unidade do Jardim Santo Eduardo é para atendimento a 250 crianças com idades entre 7 meses e três anos, conforme o programa que financia o equipamento.

A convocação da empresa e de representantes da prefeitura é pleiteada pelo vereador, para que a Câmara Municipal saiba como o problema será resolvido e qual o prazo para a regularização da obra. Além do engenheiro responsável da empreiteira, Cláudio Maurício de Lima Santos, Proença também solicitou a presença do Secretário Municipal de Obras, Milton Oliveira de Jesus, em data a ser marcada pelo presidente Silvino Bomfim.

(Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Embu, com informações da Assessoria Parlamentar)

Comentários

Nenhum comentário até o momento