Ná faz indicação para serviço de equoterapia ser oferecido em Embu das Artes

Por Assessoria de Comunicação | 7/10/2011


Foto:


Em sua justificativa, a vereadora considerou que estudos comprovam que o tratamento de fisioterapia utilizando-se de cavalos tem grande eficácia em diversos tratamentos de saúde. Também avaliou que tanto o parque Rizzo como o parque da Várzea poderiam receber esse tipo de serviço, e que essa técnica emprega o animal equestre com o agente promotor de ganhos físicos, psicológicos e educacionais.

Fotos: Reprodução / Adilson Oliveira-CMETEA
Método terapêutico com uso de cavalo; Ná faz indicação no plenário

O QUE É EQUOTERAPIA
Segundo a Ande-Brasil (Associação Nacional de Equoterapia), a prática "é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência e/ou com necessidades especiais". "Ela emprega o cavalo como agente promotor de ganhos físicos, psicológicos e educacionais", diz a entidade.

Ainda de acordo com a Ande, "esta atividade exige a participação do corpo inteiro, contribuindo, assim, para o desenvolvimento da força, tônus muscular, flexibilidade, relaxamento, conscientização do próprio corpo e aperfeiçoamento da coordenação motora e do equilíbrio. A interação com o cavalo, incluindo os primeiros contatos, o ato de montar e o manuseio final, desenvolve novas formas de socialização, autoconfiança e auto-estima".

Conforme a associação, praticante de equoterapia é o termo utilizado para designar a pessoa com deficiência e/ou necessidades especiais quando em atividades equoterápicas. "Nesta atividade, o sujeito do processo participa de sua reabilitação, na medida em que interage com o cavalo", explica a Ande. A indicação de implantação do serviço pela vereadora foi aprovada por unanimidade e encaminhada ao prefeito Chico Brito (PT) para providências.

(Márcio Amêndola – Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Embu das Artes)

Comentários

Nenhum comentário até o momento