Vereadores exigem melhorias da Sabesp, após contrato renovado por 30 anos

Por | 6/02/2012


Foto:


De acordo com Júlio, "a assinatura recente do contrato milionário da Sabesp, com sua cartilha de compromissos e benefícios para a cidade, parecia até um conto de fadas, mas se transformou em uma história de horror", criticou. Pelo novo acordo, Embu deverá receber investimentos de R$ 150 milhões nos próximos sete anos, no total de R$ 310 milhões até 2040. Do total, R$ 189 milhões serão investidos em obras de esgoto e R$ 121 milhões, em água.

Júlio lamentou que "o prefeito Chico Brito faça o asfalto e a Sabesp venha atrás quebrando, não tapando os buracos que faz". Dessa forma, os R$ 17,5 milhões para trabalho de tapa-buracos como contrapartida da Sabesp pelo contrato ficariam comprometidos. Ele pediu providências ao presidente da Câmara, Silvino Bomfim (PT), para que convoque a empresa a comparecer ao Legislativo para prestar esclarecimentos sobre seus serviços na cidade.

Fotos: Adilson Oliveira-CMETEA


Plenário na abertura do ano legislativo 2012; Júlio Campanha e Carlos Pires criticam a Sabesp por maus serviços e danos em asfalto

Carlos Pires, um dos membros da Casa legislativa de Embu mais críticos aos serviços prestados pela Sabesp por conta dos problemas recorrentes, fez coro às críticas do colega à companhia. "Este problema já era previsto, fui sempre muito reticente com relação à renovação deste contrato", declarou. Lembrou que ele e o colega José Carlos Proença (PSDB), vice-presidente da Câmara, reclamaram da Sabesp, chegaram até a ir na empresa para protestar.

Depois, "após muitas promessas, demos nosso voto de confiança e fomos até no Palácio dos Bandeirantes assistir à assinatura do contrato de renovação com a Sabesp, assinado pelo governador Geraldo Alckmin", relatou - a cerimônia ocorreu em 16 de dezembro do ano passado, cerca de seis meses depois da aprovação do termo pela Câmara Municipal. Para Pires, "é justo que queiramos discutir este contrato novamente, bem como sua qualidade".

"Chegamos a entrar com ação no Ministério Público de São Paulo por causa desses maus serviços da Sabesp, e este processo ainda está aberto na Justiça", frisou. Citou que a prefeitura de Itapecerica da Serra também entrou com processo contra a companhia, pelos mesmos motivos. "Esta empresa vendeu fumaça, só promessas, não cumpriu com nada; vou acompanhar de perto porque sou um dos autores do processo contra a Sabesp."

Silvino informou que providenciará a convocação de diretores da Sabesp para uma reunião na Câmara, a fim de que prestem os devidos esclarecimentos a todos os vereadores. Na sessão inaugural do ano legislativo de 2011, os vereadores também se voltaram contra os precários serviços prestados pela companhia, em especial a constante falta d'água no município, ao se somarem aos protestos de moradores revoltados com o desabastecimento.

(Márcio Amêndola e Adilson Oliveira – Assessoria de Comunicação da Câmara de Embu das Artes)

 

Comentários

Nenhum comentário até o momento