Ná critica acordo para suspensão da entrega de sacolas plásticas sem oferecer alternativa a consumidores

Por Assessoria de Comunicação | 27/02/2012


Foto:


Ná questionou o efeito do protocolo de intenções firmado entre o governo Geraldo Alckmin (PSDB) e a Associação Paulista de Supermercados – cujos filiados deixariam de distribuir sacolas plásticas a partir de 25 de janeiro no Estado – ao se posicionar sobre teor do ofício, de 27 de dezembro do ano passado, enviado pelo secretário estadual do Meio Ambiente, Bruno Covas, e pelo presidente da Apas, João Galassi, à presidência da Câmara.

O secretário diz que leis municipais têm sido julgadas inconstitucionais e que a medida é uma iniciativa sustentável e voluntária de cada supermercado. “Não há sanção para o estabelecimento comercial nem para o consumidor. Ressaltamos que diversas reuniões foram realizadas com a Fundação Procon a fim de que o consumidor não seja prejudicado. Os consumidores e os supermercados serão conscientizados e não serão multados”, afirma.

Fotos: Adilson Oliveira-CMETEA
Ná questiona medida 'sem discussão'; Silvino destaca tema relevante

A vereadora defendeu os consumidores. “Os supermercados deveriam, no mínimo, oferecer caixas de papelão para que os clientes colocassem as mercadorias compradas. Mas o que vemos neste acordo do governo com a associação dos supermercados é um desrespeito à população, que tem de levar as mercadorias nas mãos ou no colo. Ou pior, agora tem de comprar sacolas reutilizáveis, aumentando o lucro dos supermercados”, protestou.

“Estou indignada com o governo do Estado pela falta de discussão dessa decisão. Não perguntaram à população o que ela quer”, declarou. Ná falou sobre a lei acerca do tema que teve aprovada na Câmara, não sem antes discutir com moradores em audiência pública na sede do Legislativo, em 2009. “Quero esclarecer que o meu projeto não foi para a retirada das sacolas, mas para colocarem sacolas biodegradáveis, que não agridem o meio ambiente.”

O presidente da Câmara, Silvino Bomfim (PT), ao proceder leitura do ofício, disse se tratar de assunto relevante, já que sacolas de supermercados podem acarretar degradação ao meio ambiente. “Espero que haja consciência dos indivíduos e da sociedade, sem a coerção da lei, sobre os danos que o uso das sacolas plásticas pode causar. Este Legislativo, através de lei aprovada de autoria da vereadora Ná, deu início a essa discussão”, ressaltou.

INDICAÇÃO
Na 4ª sessão no ano, Ná apresentou indicação, única matéria em pauta, aprovada, pela instalação de mureta de proteção e sinalização na parte curva da estrada João Oliveira Ramos de Sá (antiga estrada Velha de Cotia). “Existe um trecho sinuoso nesta via pública, que está causando muitos acidentes, com um barranco, além da falta de iluminação. Fiz a indicação após a reclamação de moradores, que dizem que o local é muito perigoso”, justificou.

(Adilson Oliveira e Márcio Amêndola - Assessoria de Comunicação da Câmara de Embu das Artes)

 

Comentários

Nenhum comentário até o momento