Doda participa de reunião do Conisud e aprova implantação de laboratório para região

Por Assessoria de Comunicação | 19/02/2013


Foto:


O principal item da pauta foi a apresentação de proposta de implantação de um laboratório regional de análises clínicas e a consequente municipalização do serviço na região, com repasses do governo estadual para esse fim. A apre-sentação foi feita pela secretária de Saúde de Embu das Artes, Sandra Magali, apoiada por técnicos da secretaria e pelas secretárias de Saúde de Itapecerica da Serra, Maria Dalva Amin dos Santos, e Taboão da Serra, Raquel Zaicaner.

Foto: Adilson Oliveira-CMETEA
Prefeitos, vereadores e secretárias tratam de laboratório regional

“Acho a proposta fundamental para agilizar o atendimento da saúde na região, no que diz respeito a exames. Às vezes, demora tanto que o paciente retorna ao médico sem o exame solicitado ter sido feito ou sem o seu resultado, hoje feitos pelos hospitais gerais do Pirajuçara e de Itapecerica da Serra, gerenciados pelo governo do estado", advertiu Doda. Ele afirmou que o laboratório de análises clínicas regional “agilizará o atendimento e ampliará a medicina preventiva, diminuindo em muito as doenças graves”.

Para tratar da implantação, Chico informou que está marcada uma reunião com o chefe da Casa Civil, Edson Aparecido, para o dia 8 de março, no Palácio dos Bandeirantes. "Será radicalmente melhor para o município fazer a gestão do serviço, porque ele funciona e podemos cobrar de quem está fazendo", disse. Segundo ele, como aconteceu na implantação do Samu regional, "isso vai exigir de nós uma série de práticas e protocolos únicos para os oito municípios, que vão resultar no melhor atendimento da nossa população".

Os prefeitos já autorizaram seus técnicos a concluírem estudos para a implantação do laboratório regional, com base no número de exames por habitante. Conforme tabela apresentada, a cidade de São Paulo faz hoje 5,4 exames por habitante, enquanto que nas cidades do Conisud o índice é de 3,5 exames/habitante, número maior que a média do Estado de São Paulo, de 3,1. Maria Dalva salientou que a Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza 3,4 exames por habitante e que com a regionalização o índice de consultas poderá até cair, "porque o sistema funcionará melhor".

Moisés Cabrera, vice-prefeito de Cotia, tem uma preocupação: “Precisamos estar alertas, porque quando o serviço melhora a demanda aumenta, e precisamos estar preparados para esse atendimento”, frisou. Assim como Cotia, Vargem Grande Paulista teve corte de 30% na cota de exames  em 2012 e “precisamos ser ressarcidos”, cobrou o prefeito Roberto Rocha (PSB). Participaram também da reunião os prefeitos de Juquitiba, Francisco Melo (PPS), de Itapecerica da Serra, Amarildo Gonçalves (PMDB), de São Lourenço da Serra, Fernando Seme (PMDB), e de Embu-Guaçu, Clodoaldo Leite (PMDB).

Os prefeitos também confirmaram um seminário em abril para a composição das oito câmaras técnicas (CT), que deverão definir prioridades e elaborar um plano de ação para 2013. Cada cidade coordenará uma CT: saúde (Itape-cerica da Serra), meio ambiente (Juquitiba), transporte e mobilidade (Cotia), saneamento, drenagem e resíduos sólidos (Taboão da Serra), segurança (Em-bu das Artes), educação, cultura e esporte (Embu-Guaçu), habitação (Vargem Grande Paulista) e desenvolvimento econômico (São Lourenço da Serra).

Foto: Adilson Oliveira-CMETEA
Doda (à dir.) questiona sobre política de atendimento para exames

FRONTEIRAS MAIS SEGURAS
O Secretário de Governo de Embu das Artes, Paulo Giannini, apresentou as propostas do grupo de trabalho sobre segurança, outro tema prioritário para o biênio 2013-2014 para o Conisud. “São três as prioridades dentro da área de segurança: a implantação de um Centro Regional de Formação para as GCMs; a uniformização das leis da Poluição Sonora e Lei Seca, para melhorar a eficácia da sua aplicação, principalmente nas fronteiras, e o monitoramento das divisas, inclusive por câmeras.

Nas próximas reuniões, os prefeitos devem avaliar os outros temas que definiram como prioritários até 2014. São eles: transporte e mobilidade, com projetos para resolver alças de acesso ao Rodoanel para Itapecerica e Embu-Guaçu; integração dos sistemas de transporte público e marginais da Régis Bittencourt e Raposo Tavares; compensação ambiental aos municípios, com "ICMS Ecológico", e destinação do lixo, com a construção de usina regional para tratamento dos resíduos sólidos.

(Assessoria de Comunicação da Câmara de Embu das Artes)

 

Comentários

Nenhum comentário até o momento