Conduzida por vereadoras, sessão destaca mulheres que 'fazem a diferença'

Por Assessoria de Comunicação | 12/03/2013


Foto:

Também foi lembrada Inês Israel dos Santos, que dá nome ao Centro de Referência da Mulher de Embu das Artes, inaugurado em 2001, pelo ex-prefeito Geraldo Cruz (PT). Moradora do Parque Pirajuçarara, atuou nas principais frentes de defesa dos direitos da população carente, reivindicando creches, escolas, centros de convivência.

Negra, militante, participou com entusiasmo das pastorais sociais nas comunidades católicas do município. No dia 22 de março de 1987, aos 39 anos, Inês Israel dos Santos foi atingida por uma bala perdida disparada durante troca de tiros entre policiais e bandidos no largo de Campo Limpo, em São Paulo.

Fotos: Adilson Oliveira-CMETEA
Presidente Doda faz abertura da sessão em homenagem às mulheres

Dra. Bete assume condução da mesa de trabalhos do evento festivo

A maioria dos vereadores compareceu à sessão: Sandoval Pinheiro, o Doda (PT), presidente da Câmara, Edvanildo do Nascimento, o Jabá (PTC), Edvânio Mendes (PT), Euclides Pereira, o Clidão do Táxi (PCdoB), Gilson Oliveira (PT), Gilvan de França (PPS), Jefferson Siqueira (PR), João Leite (PT) e Dr. Pedro Valdir Amaro Gurgel (PSD), além, é claro, das duas vereadoras, Elisabete Alves Carvalho, a Dra. Bete (PDT), e Rosana Almeida (PMDB).

Doda abriu a sessão e em seguida passou a condução da mesa à vereadora Dra. Bete (PDT), que assumiu os trabalhos ao lado da vereadora Rosana. “A partir de hoje divulgaremos, durante todo o mês de março, a campanha lançada pelo governo federal “Mulheres que inovam - Incentivo à qualificação profissional”, voltada para as necessidades e o universo feminino.

A iniciativa incentiva a população feminina em situação de extrema pobreza a procurar qualificação em setores em expansão, através dos cursos oferecidos pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) "Brasil sem Miséria´”, explicou a vereadora Dra. Bete.

Fotos: Adilson Oliveira-CMETEA
Público, de todas as idades e a maioria feminino, participa da sessão

Ekedy, de comunidade de matriz africana, faz saudação ao público

MULHERES QUE INOVAM
Dois depoimentos marcaram a noite. Maria Aparecida Mendes, servidora pública desde 2003, é a primeira inspetora mulher da história da GCM de Embu das Artes. Formada em serviço social, pós-graduada em administração pública e gestão de cidades e graduanda em ciências jurídicas, é apaixonada pelo que faz. “Seria hipócrita ao dizer que não temos preconceito na nossa GCM, mas eles são combatidos todo dia pela GCM de Embu das Artes”, contou.

Maria Izilda da Silva Prado, moradora do Jardim Santa Rosa, acometida por paralisia infantil, nunca deixou que seus problemas pessoais e suas limitações físicas inviabilizassem suas conquistas e lutas diárias. Ela acabou de concluir o curso de manutenção de micro pelo Pronatec. “Eu era leiga em computadores e hoje eu detono”, contou Izilda. "O governo de Embu das Artes dá muita oportunidade e eu agarro”, completou.

Fotos: Adilson Oliveira-CMETEA
Assessoras da prefeitura, homenageadas e religiosos no plenário

Vereadores prestigiam cerimônia pelo Dia Internacional da Mulher

“Hoje é um dia importantíssimo em que devemos refletir sobre o papel da mulher na sociedade brasileira e para refletirmos sobre a valorização que damos a nossas esposas, mães, filhas, colegas de trabalho. Precisamos ser mais sensíveis ao olhar feminino”, destacou Doda. “Mulher não é para ser explorada, é para ser parceira”, disse o vereador João Leite.

“Eu dedico este dia a todas as mulheres que são pai e mãe de família, que têm jornada dupla e fazem faxina para sustentar os filhos e àquelas que enterraram seus filhos vítimas da violência ou do descaso”, exaltou Edvânio. “As mulheres estão tomando conta de tudo, estão em todas as profissões. Estudem cada vez mais, porque só o estudo vai dar a independência a vocês”, sugeriu Jabá. Gilson Oliveira entregou dez exemplares da "Bíblia para Mulheres".

Fotos: Adilson Oliveira-CMETEA
Sessão da Câmara de Embu das Artes que exaltou 'mulheres de luta'

Maria Aparecida, 1ª inspetora da CGM de Embu, faz depoimento

Maria Izilda fala de superação da deficiência e motivação em aprender

PODER PÚBLICO E A MULHER
Daniela Almeida, secretária de Assistência Social, Trabalho e Qualificação Profissional; Marisa Araújo, da Assessoria de Promoção da igualdade de Gênero e Raça; Léa Portuense, coordenadora do Centro de Referência da Mulher, e a delegada titular da Delegacia da Defesa da Mulher, Floralice do Carmo Nunes da Silva, também falaram.

“Como moradora de Embu das Artes, vi vários avanços, como a implantação no município da Lei Maria da Penha. Agora, como gestora pública, eu quero destacar o trabalho do governo municipal para melhorar a vida das mulheres na cidade”, afirmou Daniela Almeida, lembrando que desde 2001 mais de 11 mil mulheres foram atendidas no CRM.

Segundo ela, o Centro de Referência do Idoso (CRI) atende 1.600 idosos, sendo 1.250 mulheres, e tanto o cadastro para recebimento dos benefícios do governo federal, quanto a titularidade do programa "Minha Casa, Minha Vida" são feitos em nome da mulher.

Fotos: Adilson Oliveira-CMETEA
Secretária Daniela, que destacou trabalho de inclusão do CRM e CRI

Vereador Gilson presenteia Léa, do CRM, com a 'Bíblia para Mulheres'

Marisa Araújo ressaltou a importância dos cursos do Pronatec e parabenizou as mulheres, principalmente as afrodescendentes, que estão na luta pelos direitos das mulheres. Léa Portuense disse que a maior conquista das mulheres foi a Secretaria Especial das Mulheres, criada pelo governo federal, para dar orientações sobre políticas públicas para as mulheres. Ela também exaltou o trabalho do CRM em promover o “empoderamento das mulheres para que tenham autonomia”.

Dra. Flora, com o é conhecida, disse que é abençoada por trabalhar em Embu das Artes, “porque aqui tem mulheres que valorizam o nosso trabalho”. Ela confessou que a situação é bem melhor do que quando fez concurso para delegada, “quando fiz concurso só tinha seis mulheres, hoje elas encabeçam todas as profissões”.

Prestigiando as mulheres, o prefeito Chico Brito afirmou tratar-se de um momento de reflexão. “Se estamos aqui é porque ainda temos muito a fazer pela inclusão das mulheres. Significa que nossa sociedade ainda é desigual, preconceituosa e machista”. Para ele, a data é importante, “mas é no cotidia-no da Câmara Municipal, da prefeitura, das empresas, escolas e comunidades que vamos construir uma sociedade mais justa, igualitária e equitativa”.

Fotos: Adilson Oliveira-CMETEA
Chico Brito diz que é preciso fazer muito pela inclusão das mulheres

Vereadoras Dra. Bete e Rosana, que promoveram a sessão solene

Ele destacou as ações da administração municipal no campo das políticas públicas para as mulheres  e disse que a presidente Dilma Rousseff está radicalizando no combate às injustiças sociais. Ele salientou o papel da própria mulher pela conquistas alcançadas. “Não foi por vontade dos homens que as mulheres passaram a votar, que conquistaram creche ou cotas. O que significa que não existe conquista sem luta, e ela é mais forte quando o segmento excluído se organiza e sai em campo”, frisou Chico.

A sessão solene também teve um momento de religiosidade. “A mulher não quer mais ouvir eu te amo, ela quer ouvir eu te respeito. Por favor, respeitemos as mulheres”, disse padre Pier Geórgio de Belluco, da Paróquia Santa Tereza e São João da Cruz, durante benção a mulheres e homens presentes. “Como mulheres de culto africano, proponho um pacto: vamos dizer não ao preconceito religioso, ao racismo e ao sexicismo”, disse Ekedy Patrícia de Oya, representando os povos e comunidades de matriz africana.

“Eu vim aqui dizer que somos tesouros de Deus, você mulher é uma pedra preciosa de Deus. Você, que auxilia no governo, marque sua geração, faça algo, aja”, completou a pastora Juliene Barros Macena Santos, da Igreja Apostólica Nova Terra.

(Rita de Biaggio - Assessoria de Comunicação da Câmara de Embu das Artes)

Comentários

Nenhum comentário até o momento