Vereadores ressaltam cobrança de providências na saúde e rejeitam requerimento

Por Assessoria de Comunicação | 12/04/2013


Foto:


"Esse tipo de requerimento poderia ter sido entregue direto à secretária de Saúde, não precisaria trazer para o plenário", disse Sandoval Pinheiro, o Doda (PT), lembrando que a prefeitura abriu concurso público cuja maioria das vagas é para a saúde, inclusive para especialidades médicas, como ortopedia, geriatria, fisioterapia, fonoaudiologia, clínico-geral, enfermagem e médicos para o Programa Saúde da Família (PSF) - as inscrições vão até o dia 25 de abril.

Fotos: Adilson Oliveira/CMETEA
Vereadores na sessão que foi marcada por discussão sobre a saúde

Ney, ao justificar requerimento sobre frequência de servidores

Doda ao discutir requerimento destaca abertura de concurso público

O vereador Dr. Pedro Valdir (PSD) disse que o Executivo realizou audiência pública e reunião com os vereadores nas quais "todos os pontos foram escla-recidos". "Houve oportunidade para a oposição indagar sobre essas ques-tões", afirmou. Gilson de Oliveira (PT) disse que o documento "acabou de che-gar" e que Ney, como membro da instância da Casa que discute as matérias, "deveria estar no horário da Comissão Mista para apresentar aos pares".

Líder do governo na Câmara, Gilvan da Saúde (PPS) contou que o vereador Ney nunca havia faltado à Comissão Mista, da qual é membro. "Que V. Excia. fosse até a sala 40 discutir com os vereadores, não precisava passar por esse constrangimento", disse. Observou ainda que o pedido não era caso de requerimento. "Mas de oficio, e V. Excia. tem acesso a qualquer secretaria, até esteve com a secretária dias atrás obtendo informações da Saúde", disse.

Fotos: Adilson Oliveira/CMETEA
Pedro Valdir, ao dizer que oposição teve chance de esclarecer dúvidas

Gilson afirma que autor não apresentou proposição aos vereadores

Gilvan, que disse que Ney esteve na Saúde para discutir avanços

Jabá diz que a Câmara já tem cobrado 'nos mesmos termos' a pasta

Luiz diz não aprovar requerimento 'que pede muito menos' à Saúde

Jabá do Depósito (PTC) disse que os vereadores "já têm cobrado, nos mes-mos termos, a secretária da Saúde, e aguardamos resposta para que possamos tomar uma atitude". "Não vou votar num requerimento que pede muito menos do que pedimos à secretária hoje", falou Luiz do Depósito (PM-DB). Jefferson do Caminhão do Lixo (PR) declarou que "o prefeito está lutan-do, junto com a Comissão da Saúde [da Câmara], para melhorar a saúde".

Ney (PSC), em justificativa do voto, se referiu à posição dos vereadores con-trários. "Estão fazendo o papel de vocês, que são governo, têm que defender os interesses do governo. Mas minha obrigação eu fiz, que foi representar o povo. Se não acham que devem comprar briga com o governo, vão comprar briga com o povo. E a saúde não dá para esperar mais, todo dia tem gente morrendo na cidade, passando mal nas unidades de saúde", declarou ele.

Fotos: Adilson Oliveira/CMETEA
Jefferson afirma que prefeito e Câmara 'lutam para melhorar saúde'

Rosana diz que todos os vereadores cobram melhorias, 'não só dois'

Júlio Campanha, que se absteve e avaliou que iniciativa era inócua

Rosana do Arthur (PMDB) disse que todos os colegas buscam melhorias. "Desse jeito, parece que só um ou dois vereadores estão preocupados com a saúde, e não é isso. Depois de ter tido, pela manhã, reunião com a secretária, não poderíamos aprovar um requerimento com o mesmo conteúdo sobre o qual ela se comprometeu a dar essa resposta. Os demais vereadores sabem que tem problema, sim, e cobram o prefeito por isso", salientou a vereadora.

A matéria teve do vereador Carlinhos de Embu (PSC) o outro voto favorável, e abstenção de Júlio Campanha (PTB), que sustentou que o documento "não seria necessário" se já é dever do poder público prestar informações "independentemente de requerimento". Ele considerou mais efetivo criar "leis rígidas de fiscalização". "A relação [da frequência dos servidores] é apresen-tada, mas sem a comprovação de que está trabalhando não adianta nada."

(Adilson Oliveira - Assessoria de Comunicação da Câmara de Embu das Artes)

Comentários

Nenhum comentário até o momento