Com 40 projetos e mais de 350 indicações aprovados, Câmara de Embu tem 1º semestre 'produtivo', diz presidente Hugo Prado

Por Assessoria de Comunicação | 7/07/2017

Jornalistas da região sabatinam o presidente da Câmara de Embu, Hugo Prado, em coletiva, acompanhada pelo vice-presidente Carlinhos do Embu; diretor-geral da Câmara, Felipe dos Santos, e o diretor-jurídico Francisco Roberto, participam
Foto:Alexandre Oliveira / CMEMBU

O presidente da Câmara de Embu das Artes, Hugo Prado (PSB), concedeu na quarta-feira, dia 5, entrevista a cerca de dez veículos de imprensa da região em que fez um balanço dos seis primeiros meses de gestão do Legislativo na 14ª legislatura (2017-2020). Ele disse que o início foi "atípico" por ter assumido a prefeitura logo que foi eleito para dirigir a Casa, quando o parlamento teve comando do vice eleito Carlinhos do Embu (PSC), que acompanhou a coletiva.

"Desde o primeiro dia em que tive a oportunidade de assumir o mandato e ter sido eleito pelos meus pares presidente, o único e maior objetivo nosso é desenvolver a cidade e devolver ao povo embuense o orgulho de morar nesta terra", disse Hugo ao iniciar a entrevista. À frente da Executivo, destacou a "Operação Crepúsculo", de combate a assaltos nos pontos de ônibus, destinar recursos do Carnaval para saúde e início da troca da gestora dos prontos-socorros.

Hugo voltou a presidir a Câmara em fevereiro. "Entre as primeiras ações que tomamos foi a criação do Controle Interno da Casa, garantindo mais transparência aos trabalhos do Legislativo, que era um apontamento do Tribunal de Contas", disse. Ele também destacou a redução de 11 cargos de livre-nomeação no administrativo da Câmara. "Conseguimos economia anual de R$ 400 mil. Em período de crise como a que atravessamos no país, é significativa", frisou.

O presidente ressaltou a aprovação de plano de saúde para os servidores da Câmara, benefício aos funcionários que reflete em melhor atendimento aos moradores. "Deixo claro que não é extensivo aos vereadores", disse Hugo, que passou a salientar a produção legislativa em prol da população em geral. Ele listou que nos primeiros seis meses a Câmara aprovou 40 projetos de lei, cinco requerimentos e o recorde de mais de 350 indicações de melhorias nos bairros.

Entre as leis de maior relevância aprovadas pelos vereadores, Hugo citou a que autoriza a prefeitura a firmar convênio com clínicas para realização de exames e consultas para zerar a lista de espera. "Visa diminuir a grande demanda nas unidades de saúde, algo que é recorrente, há muitos anos vivenciamos grandes filas", lamentou. Também salientou parceria com pets na cidade para castração de animais gratuitamente e multa para pichação de espaços públicos.

Ele salientou a lei de incentivo ao emplacamento de veículos para Embu para a aumentar a arrecadação com IPVA. "Muitos carros ainda não têm placa de Embu, o que acarreta perda de receita para a cidade", explicou. Destacou a criação do Fundo Municipal do Emprego, para "termos aporte financeiro para qualificação profissional dos nossos jovens", e a reorganização da prefeitura, com a criação das secretarias de Segurança, Trabalho, e Indústria e Comércio.

"A Secretaria de Segurança vem 'linkar' as ações da nossa Guarda Municipal, da Polícia Militar e Polícia Civil, que muitas vezes ficam desconexas, e também vai captar recursos da pasta estadual e do Ministério da Defesa. Criando a Secretaria de Trabalho, já formamos três turmas em curso de qualificação profissional, que inclusive tiveram bolsa. A Secretaria de Indústria e Comércio faz interligação com o setor empresarial para termos novos empregos", afirmou.

Hugo destacou entre as indicações a construção do Cras (centro de assistência social) Valo Verde, o funcionamento de farmácia 24 horas e a Fábrica de Empregos. "Temos o PAT (posto do trabalhador) no centro. Estamos levando o serviço à região mais populosa e periférica, que vai reunir não só o PAT como cursos profissionalizantes para o nosso povo", afirmou. Ele frisou ainda a recuperação da malha asfáltica. "Ao todo, serão mais de cem ruas recapeadas", disse.

Indagado sobre a identificação dos carros oficiais, o presidente disse que a Câmara criou regras para uso dos veículos "que são de total responsabilidade de cada vereador". Reforçou que a Câmara tem uma Ouvidoria ativa para receber denúncias de eventuais desvios. Ele justificou que os vereadores votam projetos em regime de urgência "se existe necessidade". "Discutimos os projetos com o Executivo e na Casa antes de votar. Ninguém vota sem ter ciência", disse.

Hugo avaliou que a Câmara tem "papel fundamental" na reconstrução da cidade, herdada com dívidas. "Temos relação harmônica com o governo, o momento exige união e responsabilidade para governar. Jamais usaremos o nosso mandato, o Legislativo para fazer barganha ou pressão para benefício próprio, mas para governar para os 260 mil embuenses. Em seis meses, conseguimos produzir bastante. Que o próximo semestre seja ainda mais exitoso", afirmou.

 

IMAGENS DA COLETIVA

 

COLETIVA - HUGO PRADO

 

 

 

(Adilson Oliveira - Assessoria de Comunicação da Câmara de Embu das Artes)

Comentários

Nenhum comentário até o momento