Câmara decide não aumentar salário de vereadores por 4 anos

Por Assessoria de Comunicação | 4/07/2016

Público acompanha sessão da Câmara em que vereadores decidiram manter o mesmo subsídio para a próxima legislatura, a partir de 2017
Foto:Adilson Oliveira/CMETEA

Vereadores de Embu das Artes decidiram não aumentar o subsídio a valer para a próxima legislatura, para os que irão compor a Câmara entre 2017 e 2020 ao serem eleitos em outubro deste ano. A partir do ano que vem, os 17 parlamentares poderiam ter remuneração de R$ 12.600, 50% do que recebem os deputados estaduais, conforme a lei. Com a decisão, os vereadores nos próximos quatro anos de mandato terão o mesmo subsídio atual, de R$ 10.021.

Na quarta-feira, dia 29, o presidente da Câmara, Ney Santos (PRB), destacou a decisão dos vereadores de Embu. "Hoje, a Câmara abriu mão do aumento do salário, o que era direito nosso, demonstrando que pensa na população. Enquanto outras Câmaras estão aprovando o aumento neste momento, até porque é a última sessão antes do recesso, nós aqui estamos abrindo mão. Quando a gente faz coisas em benefício do povo tem que lembrar", disse.

"Se estivéssemos fazendo o contrário, a imprensa estaria aqui na porta, dizendo que na crise em que está o país os vereadores estariam aumentando o salário. Mas estamos abrindo mão de 26% de aumento", disse Ney Santos. Ele pediu à imprensa que noticie para que "a gente possa ser responsável por esse ato". "Abrindo mão do aumento, a economia será de R$ 40 mil por mês. Em quatro anos, vão ver o que vai dar de economia aos cofres públicos", salientou.

Ney Santos avaliou ainda que "o balanço deste primeiro semestre foi totalmente favorável, por mais que, infelizmente, a gente não conseguiu fazer tudo". "A gente voltará do recesso com mais gás para trabalhar, até dezembro de 2016", disse. O vereador Júlio Campanha (PRB) ressaltou também a decisão de manter o mesmo subsídio. "A Câmara de Embu das Artes, com essa atitude de hoje, dá exemplo de moralidade aqui na região, novamente", afirmou.

(Adilson Oliveira - Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal)

Comentários

Nenhum comentário até o momento