Câmara requer solução a falta de luz e aprova núcleo criminal

Por Assessoria de Comunicação | 11/02/2016

Vereadores na sessão em que aprovaram 2 projetos de lei, um requerimento e uma indicação
Foto:Genildo Rocha/CMETEA

A Câmara de Vereadores de Embu das Artes aprovou na segunda sessão no ano, nesta quarta-feira, dia 10, um requerimento em que solicita que a concessionária AES Eletropaulo apresente solução para a falta de energia elétrica constante principalmente em bairros na região central do município, situação que classificou até como "descaso". Parlamentares também votaram favorável a projeto de implantação de núcleo na cidade para resolver pequenos conflitos.

Autor do requerimento, o vereador Edvânio Mendes (PT) disse que moradores e empresários pagam as contas de luz sem ter o fornecimento necessário para o consumo e têm prejuízos com a perda de alimentos e mercadorias e não disponibilidade de serviço pela falta constante de energia. "Vários munícipes têm me procurado cobrando solução para o problema, que está terrível. Comerciantes querem receber de turistas no cartão e não conseguem", disse.

O vereador Clidão do Táxi (PC do B) disse que "é pura verdade" o relato do colega. "Na nossa região, não tem um dia em que os bairros não ficam no escuro. Mas temos clareza de que da parte da Eletropaulo é um descaso total. Na prefeitura tem em torno de 3.800 pedidos de poda de árvore, e ela está pouco se lixando. A Eletropaulo combinou pôr equipes na frente para desligar a luz para a prefeitura ir cortando os galhos, mas nada disso aconteceu", criticou.

Sobre a iniciativa na segurança, o vereador Pedro Valdir (PSD) apresentou projeto que autoriza a prefeitura a realizar convênio com a Secretária de Segurança Pública para a criação do Núcleo Especial Criminal em Embu. "Todos aqueles pequenos litígios como briga no trânsito ou entre vizinhos seriam resolvidos na própria delegacia, encaminhados para o Fórum com resolução. A medida desafogaria o Judiciário, que focaria os casos mais graves", justificou.

Outro projeto aprovado foi o que autoriza a prefeitura a priorizar a matrícula à pessoa com deficiência física, mental e sensorial em escola de educação básica municipal ou conveniada mais próxima da residência do aluno. "Para a efetivação da matrícula, o aluno ou responsável deverá apresentar à escola comprovante de residência e atestado comprobatório do tipo de deficiência da pessoa que pleiteia a vaga", justificou o vereador Carlinhos do Embu (PSC), autor.

A Casa também aprovou uma indicação, de implantação de nomes em ruas hoje identificadas por números no Jardim Vitória, feita pelo vereador João Leite (PT), que estendeu a autoria para o colega Gilvan da Saúde (Pros). No começo da sessão, João Leite, Doda Pinheiro (PT) e Edvânio destacaram o aniversário do PT, "36 anos de muita luta em favor da democracia e do povo brasileiro", com "excelente trabalho nos 15 anos em que administra a nossa cidade".

(Adilson Oliveira - Assessoria de Comunicação da Câmara de Embu das Artes)

Comentários

Nenhum comentário até o momento