Alunos da ETEC de Embu das Artes participam de sessão que debateu o porte de armas

Por Assessoria de Comunicação | 3/11/2015

Alunos da ETEC participam ativamente da sessão jovem sobre porte de armas.
Foto:Genildo Rocha

Mais de 200 alunos e  professores  da ETEC de Embu da Artes participaram da 4ª sessão jovem promovida na Câmara Municipal, com o tema porte de armas. Estiveram presentes também os vereadores, presidente da Câmara Ney Santos, Carlinhos do Embu, Rosana do Arthur, o investigador de policia Fernando Ferreira e Zezinho Barros, assessor da deputada estadual Analice Fernandes.

Para o investigador Fernando Ferreira, o tema tem uma grande relevância na sociedade, uma vez que já foi até tema de plebiscito e ainda é muito polêmico. Para Ferreira, a legalização só é benéfica a quem produz e não a quem  usa. “Eu sou totalmente contra a legalização, pois nesse caso só temos um ganhador”, disse.

Todos os professores participantes foram unânimes contra a legalização do porte, pois o mais importante para a formação de uma sociedade sólida é a  necessidade de políticas públicas de qualidade para educação. “Precisamos reeducar o cidadão brasileiro para depois pensarmos em porte de arma. Precisamos ensinar aos políticos como ser cidadão”,  ressaltou o professor de sociologia, Leandro Freire.

A maioria dos jovens alunos presentes foram contra o legalização do porte de armas. No entanto, o aluno do segundo ano A, Diego Matheus foi um dos a favor a legalização. “A educação é a base e todas as coisas, se isso fosse prioridades dos governantes não seria necessário porte de armas, sabemos que a sociedade precisa se proteger , no meu ponto de vista o cidadão deve usar sua arma em sua residência”, falou Diego.

Ao contrário do ponto de vista do aluno Diego,  a aluna  Ágata Tavares diz que o Estado deve ser o responsável pela segurança, pois o individuo para fazer uso de armas deve passar por vários testes psicológicos e não da maneira que é feito atualmente, fazer uma discussão de tamanha magnitude em um País que a educação pede socorro é no mínimo uma irresponsabilidade das nossas autoridades.

O presidente da Câmara Ney Santos também foi contra a legalidade, para ele a situação política que o País se encontra não seria o momento apropriado para se fazer uma discussão de tamanha importância. “A nossa juventude tem uma importância muito grande nesse processo, todos vocês são formadores de opinião e isso faz grande diferença nas decisões de nosso País“, finalizou Ney Santos.

Comentários

Nenhum comentário até o momento