Vereadores destacam entrega de rodoviária e atuação da Câmara para viabilizar obra

Por Assessoria de Comunicação | 29/08/2013


Foto:

"É muita emoção para mim. Eu tive a oportunidade de votar a favor da compra do terreno desta rodoviária, comprado em 2001 pela prefeitura, e o prefeito Chico Brito falava todo dia que precisava concluir esse projeto. Deus iluminou a todos, e os vereadores tiveram paciência pelo prefeito não atender suas reivindicações para terminar essa obra", discursou o vereador Clidão do Táxi (PC do B), em quinto mandato, na cerimônia de inauguração.

                                                                            Adilson Oliveira/CMETEA
Chico, vereadores e outras autoridades na inauguração de rodoviária

Moradora da região do centro como o colega de parlamento, Rosana do Arthur (PMDB) enalteceu a grandiosidade da obra. "É difícil falar neste momento, mas quero destacar a importância dos vereadores para que essa 'belezura' se tornasse realidade para a população. A Câmara apoia o prefeito Chico Brito em todos os projetos que ele tem para a cidade e que são bons para a população", ressaltou, ao também representar o Legislativo. 
 
Rosana se referia a um dos papéis fundamentais dos vereadores que é o de analisar e votar pela aprovação - ou não - os projetos enviados pelo Poder Executivo à Câmara Municipal. No caso da Rodoviária Embu das Artes, da aprovação à compra do terreno até a inauguração, foram vários projetos que passaram pela análise e aprovação da Casa de Leis embuense, dos parlamentares em mandato e também das legislaturas passadas.

                                                                            Adilson Oliveira/CMETEA
Clidão destaca compra do terreno para obra da rodoviária em 2001

Entre os mais recentes, está o projeto que autoriza a concessão administrativa do terminal - à empresa Riêra - e os que batizam a rodoviária e duas vias pró-ximas - ruas 1º de Maio (dia do plebiscito pelo nome de Embu das Artes) e 24 de Agosto (data de inauguração) -, para fluidez do tráfego local. A Rodoviária Embu das Artes custou R$ 4,8 milhões, sendo R$ 3,6 milhões repassados pelo governo federal, via Ministério do Turismo, e R$ 1,2 milhão, pela prefeitura.

A rodoviária começou a operar domingo, dia 25, com 14 empresas e média de 150 partidas diárias. "A população da nossa região não precisará mais ir até a rodoviária do Tietê ou Barra Funda, terá o conforto de pegar ônibus aqui em Embu das Artes e ir, inicialmente, para mais de 40 destinos, como o litoral sul e norte, Sul do país, algumas cidades do Nordeste e as principais do Estado de São Paulo", frisou Chico Brito (PT), ao descerrar placa de inauguração.

                                                                            Adilson Oliveira/CMETEA
Rosana fala do protagonismo da Câmara na viabilização de rodoviária

O prefeito enfatizou que o terminal de passageiros contribuirá com o crescimento do município, com a expectativa de que 100 mil pessoas utili-zem o equipamento por mês. "Existia uma demanda reprimida. Vamos garan-tir conforto para nossa população e ao mesmo tempo provocar o fomento ao desenvolvimento da nossa cidade, e ao lado dessa rodoviária vai trazer progresso, novos comércios e mais emprego para os moradores", declarou.

O secretário Paulo Giannini (Governo) disse que a rodoviária era uma antiga demanda da população em reuniões do Orçamento Participativo. "Esta obra insere, definitivamente, Embu das Artes no contexto regional." O deputa-do estadual Geraldo Cruz (PT) ressaltou a transformação da cidade em 12 anos de administração do partido. "A gente não esperava que tanta coisa boa acontecesse. Mas tudo isso aconteceu por causa do povo de Embu", disse.

                                                                Fotos: Adilson Oliveira/CMETEA
Doda, Chico, Geraldo, Raquel e Giannini na inauguração de rodoviária

                                                                           
Prefeito e vice, Bete, Clidão, Luiz e Doda ante placa de inauguração

Presente, o senador Antônio Carlos Rodrigues (PR) destacou o crescimento da cidade. "Daqui a pouco, não vamos mais poder chamar de Embu das Artes, mas Embu das indústrias, do crescimento, do progresso", disse. O deputado federal José Mentor (PT) falou que, "enquanto o mundo sofre com a crise, nós estamos inaugurando uma obra" e exaltou que "esse polo de geração de emprego e renda vai continuar ajudando o Brasil a crescer".

O espaço de instalação de agências de viagens e outras lojas ganhou minuciosa reprodução visual do centro histórico da cidade, chamado "Villa Commecial de M'Boy". A cerimônia de inauguração teve apresentação do renomado maestro João Carlos Martins e da orquestra Bacchiana, da escola de samba Vai-Vai e do cantor Tobias e reuniu cerca de 2 mil pessoas. Uma empresa sorteou 20 pacotes de viagem entre moradores presentes.

                                                                            Adilson Oliveira/CMETEA
Moradores de Embu e região visitam plataformas antes de cerimônia

Participaram da inauguração várias autoridades, entre elas o superintendente estadual do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), Ricardo Madalena, o presidente da Riera, Sebastião Imar Riera, os prefeitos de Embu-Guaçu, Clodoaldo Leite, de São Lourenço da Serra, Fernando Seme, de Juquitiba, Francisco Junior, de itajubá, Rodrigo Riera, o vice-prefeito de Cotia, Moisés Cabrera, além do vice de Embu, Nataniel Carvalho, Natinha.

Também marcaram presença o primeiro prefeito de Embu, Annis Neme Bassith, e Raquel Trindade, que representou os artistas embuenses, além de várias lideranças comunitárias, religiosas, e vereadores da região. De Embu, participaram também o presidente Doda Pinheiro, João Leite, Gilvan da Saúde, Luiz do Depósito, Dra. Bete, Jabá do Depósito, Edvânio Mendes, Gilson Oliveira, Jefferson do Caminhão, Júlio Campanha, Carlinhos do Embu e Jomar.

(Rita de Biaggio e Adilson Oliveira - Assessoria de Comunicação da Câmara de Embu das Artes)

Comentários

Nenhum comentário até o momento