Comandante Dirceu divide título de Cidadão Embuense com GCMs

Por Assessoria de Comunicação | 26/06/2015

Dirceu, novo cidadão embuense", vereadores e prefeito na entrega do título ao comandante da GCM
Foto:Adilson Oliveira/CMETEA

Por iniciativa do vereador Edvânio Mendes (PT), o comandante da Guarda Civil Municipal de Embu das Artes, Dirceu Alves da Siva, recebeu o título de “Cidadão Embuense” em sessão solene na Câmara que reuniu o prefeito Chico Brito (PT) e ficou lotada de representantes de bairros e entidades, autoridades policiais e secretários municipais, além de mais de 20 GCMs da cidade e municípios vizinhos, na terça-feira, dia 23. O presidente Ney Santos (PSC) conduziu a cerimônia de homenagem.

Após exibição de vídeo sobre a trajetória de Dirceu na Polícia Militar e em reconhecimento ao trabalho depois à frente da GCM, desde que existe, em 2003, Edvânio destacou o mérito de o então prefeito e hoje deputado estadual Geraldo Cruz (PT) ter criado a Guarda Municipal, com 50 membros, e de Chico ter ampliado o efetivo, para 165 GCMs, e disse prestar “singela homenagem” ao comandante. “O sr. representa uma corporação que é respeitada nos quatro cantos da cidade”, disse.

“A mesma simplicidade com que o sr. recebe a dona Maria e o seu João ou a autoridade A ou B o leva a realizar um trabalho de excelência. O sr. formou uma GCM humana, não trouxe o poder de polícia para a GCM, mas poder de estar junto à comunidade”, completou Edvânio. O vereador João Leite (PT) disse que a autoria do título de cidadania não era só do vereador proponente, mas de todo o município, “pela relação que o sr. criou com as polícias, mas principalmente com o povo desta cidade”.

O vereador Clidão do Táxi (PC do B) contou conhecer o “amigo” Dirceu há 37 anos. “Em todas as vezes que liguei, de noite, de madrugada, ele esteve sempre à disposição para atender, e muito bem, a nossa comunidade, desde que era PM”. O vereador Doda Pinheiro (PT) disse que Dirceu é de “uma humildade que nos ensina a cada dia”. “Se pudesse, ele dividiria o título com toda a corporação que, com muita maestria, tem feito brilhante trabalho sob a batuta do comandante Dirceu”, disse.

Ney Santos salientou que Dirceu foi merecedor do título por unanimidade dos vereadores e que “poucos têm o privilégio de estar tantos anos na cidade prestando um serviço tão árduo, mas um trabalho maravilhoso”. “Dirceu está sempre à disposição de nosso povo, às vezes fazendo o que seria de obrigação de outras pessoas”, afirmou. Chico considerou que a carreira do homem público Dirceu é marcada por uma “postura de retidão e serviços prestados à população de nossa cidade e à região”.

“Foi aprovado que o comandante tem que ser alguém [dos quadros] da própria GCM. Mas ele ficará conosco até o último dia que a lei permitir, agosto do ano que vem, e será responsável pela transição”, completou o prefeito, que exaltou a família pelo total apoio a Dirceu. A vereadora Rosana do Arthur (PMDB) disse que o trabalho na segurança “é muito difícil, e a esposa tem que dar mesmo força”. Gilson de Oliveira (PT) desejou “sucesso”. “Sorte é para fraco, e o sr. provou ser muito forte”, falou.

Dirceu contou que, do interior paulista, foi criado “na miséria”, ficou órfão de mãe aos 14 anos, foi boia-fria, frentista, até voltar a estudar e ingressar na PM, em 1975. Prestes a se aposentar, em 2002, já formado em direito e com pretensão de ser advogado, foi convidado a comandar a GCM, por Geraldo Cruz. “Eu disse a ele: ‘Sou muito pacato, de origem humilde, é algo truculento que vamos criar? Ele falou: ‘Não, eu quero uma Guarda cidadã, por isso você vai ser o comandante’. Aceitei”, disse.

Com Embu com 200 mortes ao ano, Dirceu disse que era preciso reagir e integrou comissões da prefeitura, entre elas de festa. “Vamos fazer festa para a comunidade ou para a malandragem? Se for para comunidade, não pode ultrapassar as 23h. Depois que implantamos, não se vê mais mortes em eventos”, disse entre outras medidas. Ele disse ter “muita gratidão” por Geraldo e por Chico, e “compartilhou” o título com os GCMs. “Vocês são mais importantes que eu, apenas trouxe uma filosofia”, disse.

(Adilson Oliveira - Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal)

Comentários

Nenhum comentário até o momento