Câmara aprova 3 proposições em sessão rápida por falta de luz

Por Assessoria de Comunicação | 16/04/2015

Plenário às escuras, só com luz de emergência da Câmara, durante a 11ª sessão ordinária
Foto:Adilson Oliveira-CMETEA

Mesmo com a falta de energia elétrica no Parque Industrial, a Câmara de Embu das Artes realizou – à luz de emergência - votações e aprovou três proposições na noite desta quarta-feira, dia 15, apesar da necessidade de a sessão ser “relâmpago”, em meia-hora. As matérias apreciadas foram um projeto de lei sobre nome de praça pública, uma indicação de pavimentação e uma moção de pesar pela morte do ex-ministro da Justiça e do Supremo Tribunal Federal Paulo Brossard.

O presidente da Câmara, Ney Santos (PSC), apresentou o projeto de lei 4/2015 e teve aprovado que a praça na viela dos Sonhos, no Jardim Valo Verde, passa a chamar Maria Benedita dos Santos. No local, onde viveu quase 40 anos, a moradora procurava ajudar os vizinhos em época em que o bairro era muito carente – sem água encanada, luz elétrica e transporte público. Índia, também se preocupava com a saúde das pessoas ao oferecer ervas medicinais que preparava.

A vereadora Rosana do Arthur (PMDB) solicitou do governo municipal, por meio da indicação 24/2015, a pavimentação nas ruas dos Escultores, Pintores, das Artes, dos Artistas, e dos Arquitetos, no bairro Chácara Aurora. De acordo com a autora, as vias têm fluxo grande e estão em condições precárias, agravadas a cada chuva, quando se formam perigosos buracos, além do que a má conservação não permite a entrada de caminhões de coleta de lixo, transporte escolar, veículos de produtos.

Com a moção 13/2015, Doda Pinheiro (PT) prestou reconhecimento a Paulo Brossard, que, antes de se tornar jurista, ao se eleger ao Senado, no ano de 1974 pelo então MDB, “destacou-se como uma das principais lideranças da oposição à ditadura e quatro anos depois foi candidato pelo partido a vice-presidente da República na chapa de Euler Bentes”, contra o general João Figueiredo, “apoiado pela Arena”, justifica o vereador. Gaúcho, Brossard morreu no dia 12 aos 90 anos.

(Adilson Oliveira - Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal)

Comentários

Nenhum comentário até o momento