Vereadores aprovam repasse de recurso financeiro a entidade que atende crianças em creche

Por Assessoria de Comunicação | 18/06/2014


Foto:

Os vereadores de Embu das Artes aprovaram na sessão nesta quarta-feira, dia 18 de junho, repasse de recursos financeiros para uma entidade social que atende crianças na região do Jardim Santo Eduardo. Pelo projeto de lei (41/2014) com voto favorável por unanimidade dos parlamentares presentes, a Cáritas Diocesana de Campo Limpo receberá R$ 60.432,00, no período de agosto a dezembro, para creche da Paróquia São José e Santo Eduardo.@@

Os vereadores enalteceram a idoneidade da entidade e a importância de investir em creche para que mães possam trabalhar enquanto deixam os filhos em locais seguros. "Sabemos que a Cáritas é uma entidade séria e de responsabilidade, e as creches conveniadas têm um trabalho muito importante no nosso município. Também que o abuso sexual contra crianças ocorre geralmente no ambiente familiar", disse a vereadora Rosana do Arthur (PMDB).

O vereador Clidão do Táxi (PCdoB) observou que quando as crianças são cuidadas por outros irmãos ou ficam na casa de pessoas alheias à família estão sujeitas a "fatos desagradáveis". O presidente Doda Pinheiro (PT) destacou o atendimento às crianças prestado pela Cáritas e a necessidade de aprovação em regime de urgência do repasse não na última sessão antes do recesso, quando pode ser votada só a lei de diretrizes orçamentárias (LDO).

Foram aprovadas também as indicações de construção de centro de convenções, recapeamento da rua São Raimundo, no Jardim São Vicente, e de reforma de campo de futebol no Jardim Santo Antônio, que rendeu debate. Parte dos vereadores disse que a área é de empresa que dificulta a cessão do local e que a obra era "complicada". Autor, Jefferson do Caminhão (PR) disse cumprir o papel de vereador e que a prefeitura, na pior das hipóteses, pode buscar outra área.

Os vereadores também destacaram a Guarda Civil Municipal pelos 11 anos de atividade e exaltaram o trabalho indispensável que realiza na cidade ao proteger o patrimônio público e ainda exercer a função da Polícia Militar, que tem efetivo e viaturas insuficientes. Clidão disse que a deficiência é tão grande que a GCM "faz o papel de polícia". Doda disse que em uma ocorrência se chegou ao cúmulo de a própria PM pedir para ligar para GCM por não poder atender.

(Adilson Oliveira - Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal)

Comentários

Nenhum comentário até o momento