Vereadores recebem diretor do Ciretran de Embu após destrato com Doda

Por Assessoria de Comunicação | 18/06/2014


Foto:

Os vereadores da Câmara Municipal de Embu das Artes receberam o novo diretor do órgão de Circunscrição Regional de Trânsito (CIRETRAN) do município, Antônio Correa Soares, no último dia 11/06, após episódio de destrato com o presidente da Casa de Leis, Doda Pinheiro (PT). Indignados, os vereadores relataram os problemas com o órgão e pediram postura ética da coordenação do departamento com os representantes do povo.@@

No episódio que conduziu a agenda da reunião com o novo diretor do Ciretran, Doda teria ido até o departamento de trânsito resolver um problema de um documento veicular e ouviu de uma funcionária do órgão que seu diretor não o receberia, por se tratar de um vereador.

Outro episódio que também irritou os vereadores foi para a não liberação de documento de um carro da Câmara ao diretor geral do legislativo, Felipe dos Santos, que ouviu dos funcionários que só o representante legal, no caso o presidente da Casa, poderia retirá-lo.

Reunidos na Sala dos Emancipadores, os vereadores Gilson Oliveira (PT), Jefferson Siqueira (PR), Rosana do Arthur (PMDB), Pedro Valdir (PSD), Jabá (PTC), Edvânio Mendes (PT) e Carlinhos (PSC), se posicionaram diante do descaso tratado pelo diretor do Ciretran de Embu que se mostrou irredutível às cobranças dos vereadores.

De acordo com o diretor do Ciretran, Antônio Soares, sua postura se deve ao fato de evitar situações de exceção a agentes políticos, e seu estilo de trabalho não seria esse.

Apesar de concordarem com o mérito da questão, os vereadores não admitiram serem destratados devido sua posição política. "Quando se falou que o senhor não atende vereador eu achei de uma baita falta de educação. O senhor não sabia por que eu fui lá e me tratou desse jeito", disse Doda direcionando sua crítica ao diretor do departamento ligado ao Detran - São Paulo.

Tentando se explicar ao presidente do legislativo municipal, Soares informou que não teria dito que não iria receber vereador em sua sala, e que o caso que levou Doda ao Ciretran já havia sido explicado ao munícipe, dono do veículo em questão e que "não voltaria a dar mais detalhes".

Apesar da explicação, os vereadores não aceitaram bem a postura do novo diretor e pediram que haja harmonia na condução das tratativas entre os vereadores e o departamento.

A reunião também serviu para que os vereadores demonstrassem sua insatisfação com o atendimento do órgão. "O Ciretran, e não é de hoje, têm em seus funcionários uma arrogância no trato com os munícipes, e isso precisa mudar". Disse o vereador Edvânio Mendes (PT). O diretor do Ciretran apontou que desde sua nova posição no órgão, assumido em janeiro deste ano, ele vem adotando um novo sistema de trabalho que ainda passava por ajustes. "Já estamos mudando o departamento. Vamos trabalhar na base da legalidade e impessoalidade", afirmou.

Outra questão abordada foi para documentos que ficam retidos após apreensão do veículo. Os vereadores questionaram a demora na liberação do documento, uma vez regularizada a situação do condutor. "Um documento tem demorado em média 7 dias para ser liberado pelo Ciretran", reclamou Luiz do Depósito (PMDB).

A esse questionamento, o diretor do Ciretran informou que a demora tem sido pelo não envio dos documentos de imediato pela Polícia. "Os documentos são recebidos na manha do dia posterior a ocorrência. Pela tarde há a confecção do ofício e no dia seguinte há a liberação pelo órgão", explicou Antonio Soares.

Os vereadores também questionaram a legalidade da taxa que é cobrada pelo pátio anexo ao Ciretran quando veículos ficam retidos até sua liberação. O diretor do departamento demonstrou desconhecimento pela prática e informou que o gerenciamento do pátio não é ligado ao órgão estadual.

O atendimento do Ciretran de Embu das Artes é de segunda a sexta, das 9h às 17hs. Lacração de veículos são feitas a partir das 8h30 às 17h.

Comentários

Nenhum comentário até o momento