Secretarias com mais queixas são as de serviços diretos a morador, diz Ouvidoria

Por | 11/07/2013


Foto:


A Ouvidoria visa melhorar a qualidade do serviço público, por meio das de-mandas da população, que podem ser reclamações - que predominam -, de-núncias, sugestões e elogios. É o próprio ouvidor quem liga para o cidadão, em resposta à demanda, em até 15 dias úteis. "Assumi a pedido do prefeito para ter a Ouvidoria mais perto da comunidade. Ele mais do que ninguém quer que a prefeitura preste um bom serviço à população", disse Eckstein.

Durante a audiência pública, Eckstein mostrou os principais números da Ouvidoria no período de janeiro a maio de 2013. Nos primeiros cinco meses do ano, foram recebidas 1.123 demandas - março foi o mês com o maior número, 255. Do total absoluto, 726 foram feitas através do telefone, 219 pela internet, 174 pessoalmente e as demais, por cartas e e-mails. A falta de recursos humanos foi uma das principais queixas da Saúde.

"Realizamos concurso para a Saúde e já começamos a chamar. Com isso, pretendemos resolver o problema do agendamento de consultas", explicou o ouvidor. Mesmo realizando concurso, "você não consegue preencher o número de vagas, muitos que fazem o concurso não respondem quando são chamados", afirmou Eckstein, acostumado a ouvir demandas da população sobre serviço público - foi vereador em cidade vizinha, Taboão da Serra.

                                                                                    Divulgação/PMETEA
Eckstein em apresentação das demandas da população à Ouvidoria

Em relação às queixas na área, Eckstein disse que o governo do Estado, pres-sionado pelos municípios e pelo governo Federal, está criando uma ouvidoria específica para a saúde, para ouvir e computar os reclamos sobre o atendimento nos hospitais regionais como os hospitais gerais do Pirajuçara (HGP) e Itapecerica (HGIS), que são referência para a região, mas alvo de reclamações por não atenderem a demanda de consultas e internações.

Sobre Serviços Urbanos, esclareceu: "Um dos principais pedidos é pela drenagem de esgoto alternativo. Temos muito esgoto clandestino, resultado de 30 anos de descaso da Sabesp que não realizou plano de canalização". Ele disse que os munícipes pedem ainda "uma fiscalização mais eficiente e rápida", por parte da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, responsável também por fiscalizar e fazer a revisão do cadastro imobiliário.

"Quando a prefeitura vai até o imóvel e constata irregularidades nas metra-gens construídas, o morador também reclama", observou. A audiência reuniu entidades ligadas à terceira idade e representantes de igrejas, que questio-naram e sugeriram algumas ações para o governo, como a unificação da carteira de isenção tarifária para os idosos, a necessidade de médicos geriatras além de uma política de saúde mais forte para os dependentes químicos.

Em funcionamento desde abril de 2009 e vinculada à Secretaria da Controladoria-Geral do Município, a Ouvidoria - com quadro de seis funcionários, além do ouvidor - pode ser contatada de várias formas. Por meio do telefone 0800-7704114, pessoalmente e por carta, para o endereço rua Andronico dos Prazeres Gonçalves, 114 Centro, Embu das Artes, CEP 06804-200, e/ou por internet no e-mail ouvidoria@embudasartes.sp.gov.br.

(Rita de Biaggio e Adilson Oliveira - Assessoria de Comunicação da Câmara de Embu das Artes)

 

Comentários

Nenhum comentário até o momento