Ministro do Turismo garante que Embu terá campus da Unifesp

Por | 6/10/2010


Foto:


Os novos aliados são dois senadores petistas que até então não haviam estado juntos em Embu: Aloísio Mercadante (PT), líder do governo no Senado, e Eduardo Suplicy (PT). Eles expuseram forte apoio ao projeto de construção do campus, durante evento realizado na manhã da última sexta-feira, 26 de fevereiro.

 


Tamanha euforia não é à toa já que, em pleno ano eleitoral, o projeto promete atender a uma região que reúne 30 municípios da macro região metropolitana, incluindo o Sudoeste do Estado e a população do Vale do Ribeira, totalizando seis milhões de habitantes.
Hoje, para ter acesso ao ensino universitário gratuito, um jovem embuense precisa se deslocar por cerca de 20 quilômetros até a Universidade de São Paulo (USP) ou por 40 quilômetros até o campus da Unifesp na capital paulista.


Com a construção do novo prédio em Embu, moradores das regiões do entorno terão acesso facilitado à universidade, que ficará próxima ao trecho sul do Rodoanel e contará ainda com uma nova rodoviária que está sendo construída com recursos do Ministério do Turismo. Localizado na região central de Embu, o terminal abrigará linhas municipais, intermunicipais e com destinos para outros estados do Brasil.


O Senador Aloísio Mercadante disse, durante o evento, que a bancada do governo já garantiu R$ 16,7 milhões para o novo campus. “Ninguém vai tirar de Embu essa possibilidade”, disse o senador, que recebeu, em nome do ministro da Educação, Fernando Haddad, o termo de compromisso da Prefeitura de Embu para a construção do prédio que poderá abrigar o futuro campus da Unifesp.


”Tudo o que precisava ser feito já está encaminhado e eu acho que essa é uma trajetória irreversível", afirmou o senador, que também ressaltou as medidas do governo Lula favoráveis ao acesso das camadas mais pobres da população ao ensino superior.


O senador Eduardo Suplicy (PT) também mostrou forte apoio ao futuro campus. Segundo ele, o centro esportivo a ser construído no Parque da Cidade, na área em que ficará o campus, terá grande importância para região. “Esperamos que nesse espaço sejam formados futuros atletas que poderão participar das Olimpíadas de 2016”, disse.


Na ocasião, Mercadante e Suplicy assinaram ainda um abaixo-assinado que reivindica a ampliação e o controle social do Hospital Geral do Pirajussara. Segundo os coordenadores do movimento, mais de 20 mil assinaturas já foram coletadas.


Embora o ministro da educação Fernando Haddad não tenha comparecido ao evento, outro ministro, Luiz Barreto, do turismo, garantiu que Embu terá mesmo uma universidade federal. Segundo ele, as aulas devem começar no primeiro semestre de 2014, quando o país receberá a Copa do Mundo.
Agora, o movimento Pró-Universidade da Região Sul e Sudoeste de São Paulo espera apoio do Conselho Universitário da Unifesp, que ainda não se manifestou oficialmente sobre o projeto.


O prefeito de Embu, Chico Brito (PT), espera que a licença para construção do edifício seja liberada em 60 dias. Em seguida, o consórcio dos municípios envolvidos lançará o edital de licitação para escolha da empresa construtora. “Conversaremos com a Ministra Dilma (Roussef) ainda nesse primeiro semestre para conseguir que as obras comecem em 2010”, disse o prefeito.


A cerimônia, realizada na última sexta-feira, 26 de fevereiro, no auditório do Hotel Rancho Silvestre, bairro Votorantim, em Embu, reuniu cerca de 1.300 pessoas. A proposta prevê a construção de um prédio com capacidade para 1,2 mil alunos dentro do Parque da Cidade, em uma área de 1,6 milhões de metros quadrados, próxima ao cruzamento do Rodoanel com a rodovia Régis Bittencourt. Uma área de mais 1,8 milhões de metros, dentro da cidade de Itapecerica da Serra também poderá ser integrada ao projeto, já que esta seria a intenção do prefeito daquela cidade, Jorge Costa, presidente do CONISUD (Consórcio de Municípios da Região Sudoeste).


Além dos senadores e do ministro do turismo, os deputados federais Carlos Zarattini, Jilmar Tatto, José Genoino e João Paulo Cunha, os deputados estaduais, Enio Tatto e Marcos Martins e o ex-presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini também fizeram questão de manifestar o apoio ao movimento pró-universidade.


“Hoje são mais de um milhão de jovens de 18 a 24 anos que moram nessa região e que precisam ir para longe para estudar ou pagar mensalidades caras em escolas particulares. Temos que mudar isso, o filho do trabalhador também tem o direito de estudar”, exclamou Zarattini.
Representaram a Câmara de Embu no evento o Presidente da casa, Professor Silvino (que representou o legislativo na Mesa), e os vereadores Júlio Campanha, José Carlos Proença, Carlos Pires, Gilvan da Saúde, João Leite, Ná, Didi e Milton do Rancho.
(Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Embu)

Comentários

Nenhum comentário até o momento